Eduardo IV de Inglaterra

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2014). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser acadêmico)
Eduardo IV
Rei da Inglaterra e Lorde da Irlanda
Rei da Inglaterra
1º Reinado4 de março de 1461
a 3 de outubro de 1470
Coroação28 de junho de 1461
Antecessor(a)Henrique VI
Sucessor(a)Henrique VI
2º Reinado11 de abril de 1471
a 9 de abril de 1483
PredecessorHenrique VI
SucessorEduardo V
 
EsposaIsabel Woodville
DescendênciaIsabel de Iorque
Maria de Iorque
Cecília de Iorque, Viscondessa Welles
Eduardo V de Inglaterra
Margarida de Iorque
Ricardo de Shrewsbury, Duque de Iorque
Ana de Iorque, Senhora Howard
Jorge Plantageneta, Duque de Bedford
Catarina de Iorque, Condessa de Devon
Brígida de Iorque
CasaIorque
Nascimento28 de abril de 1442
 Ruão, Normandia, França
Morte9 de abril de 1483 (40 anos)
 Londres, Inglaterra
EnterroCapela de São Jorge, Castelo de Windsor, Berkshire, Inglaterra
PaiRicardo, 3.° Duque de Iorque
MãeCecília Neville
ReligiãoCatolicismo
AssinaturaAssinatura de Eduardo IV

Eduardo IV (Ruão, 28 de abril de 1442Londres, 9 de abril de 1483) foi o Rei da Inglaterra durante dois períodos diferentes, primeiro de 1461 até 1470 e depois de 1471 até sua morte, sendo o primeiro monarca inglês da Casa de Iorque. A primeira parte de seu reinado foi marcada pela violência associada com a Guerra das Rosas, em que lutou contra as forças da Casa de Lencastre e o rei Henrique VI até finalmente derrotá-los na Batalha de Tewkesbury, reinando em paz até o final.

Primeiros anos

Eduardo nasceu em Ruão, na França, durante uma campanha da Guerra dos cem anos. Talvez devido ao ambiente militar da época, o seu nascimento como primogénito do Duque de Iorque não foi comemorado devidamente. Num documentário da BBC, levantou-se a hipótese de Eduardo ser na realidade o produto de uma relação adúltera de Cecília Neville e portanto ilegítimo. Na época, no entanto, não se questionou a sua paternidade e Eduardo foi educado como o herdeiro do Duque de Iorque.

Em 1455, o rei Henrique VI expulsou o pai de Eduardo da corte, numa tentativa de reaver o poder perdido durante a convalescência da sua depressão. Ricardo de Iorque não estava disposto a largar a governação sem luta e iniciou a Guerra das rosas contra a Casa de Lencastre, o partido do rei. Depois de alguns sucessos iniciais, assistidos pelo general Ricardo Neville, 16.º Conde de Warwick, que incluíram a captura do próprio Henrique VI, em 1460, o Duque de Iorque perdeu a Batalha de Wakefield contra os exércitos comandados por Margarida de Anjou. A rainha consorte não lhe perdoou a traição contra o rei e ordenou a sua execução. Com o pai morto e a sua cabeça exposta nas muralhas de Iorque, Eduardo tornou-se Duque de Iorque com apenas dezoito anos.

A sua inexperiência foi largamente compensada por Ricardo Neville, o seu mentor, que viu nele as capacidades de um líder nato, capaz de substituir Henrique VI. Enquanto Margarida de Anjou fazia campanha no Norte, Warwick tomou Londres no ano seguinte, aprisionou Henrique VI na Torre de Londres e Eduardo tornou-se rei de Inglaterra.