Duarte de Almeida

Duarte de Almeida
Alferes-mor do rei Afonso V
"Feito heróico de Duarte de Almeida, o Decepado" (litografia do final do século XIX).
DescendênciaVer descendência
 Vila Pouca de Aguiar, Portugal

Duarte de Almeida - o Decepado era filho de Pedro Lourenço de Almeida. Nascido em Vila Pouca de Aguiar, foi alferes menor de D. Afonso V de Portugal e tornou-se célebre pelo seu acto de valentia na Batalha de Toro, dada a 1 de Março de 1476.

Apesar de todas as referências discretas e de ser homenageado em Espanha, é um símbolo admirável e indiscutível de patriotismo para os portugueses em particular.

Aconteceu porque o rei D. Afonso V apoiava o direito legitimo da sua sobrinha (e prevista esposa em segundas núpcias) ao trono castelhano, razão por que se deu a dita batalha. Duarte de Almeida estava responsável pelo estandarte real que defendeu incansavelmente mesmo depois de lhe terem cortado as mãos, segurando-o com os braços e com os dentes até ser aprisionado pelas tropas castelhanas. A bandeira foi, entretanto, recuperada por Gonçalo Pires Bandeira, que, desta forma, ganhou o seu apelido e armas novas. No fim da batalha, o Alferes foi conduzido semimorto para o acampamento castelhano, onde recebeu os primeiros curativos, sendo depois enviado para um hospital em Castela. Depois de tratado e só passados vários meses regressou a Portugal para viver com a família nas suas casas da Rua Nova da Judiaria, em Santarém.

Afirma-se que Duarte de Almeida faleceu na miséria e quase esquecido, Camilo Castelo Branco porém, nas Noites de Insónia afirma que o Decepado não acabara tão pobre como se dizia, porque além do Castelo de Vilharigues, que herdara de seu pais possuía outro na Quinta da Cavalaria, e enquanto esteve na guerra, a sua esposa havia herdado boa fortuna duma sua tia, D. Inês Gomes de Avelar. D. Afonso V, um ano antes da batalha, estando em Zamora, lhe fizera mercê, pelos seus grandes serviços, para ele e seus filhos, de um reguengo no concelho de Lafões.

Dados genealógicos

Pai:

  • D. Lourenço Anes de Almeida, herdeiro da casa de seus pais, D. Fernão Pires de Almeida, alcaide-mor de Aveiro, muito valido dos reis D. Diniz e D. Afonso IV, e senhor da Casa da Cavalaria e castelão de Vilharigues (Vouzela), e sua mulher.

Casou com:

  • D. Maria de Azevedo, filha do senhor da Lousã, Rodrigo Afonso Valente, e de sua esposa, D. Leonor de Azevedo.

Tiveram:

  • Afonso Lopes de Almeida, senhor da casa e castelo do seus antepassados, o qual casou com D. Leonor Vaz de Castelo Branco, filha de João Vaz Cardoso, aio do conde de Barcelos.
  • Rui Lopes de Almeida, veador da princesa D. Joana, filha do rei D. Duarte e mais tarde rainha de Castela. Casou e teve muita descendência.
  • Diogo Lopes de Almeida casou em Pinhel com uma senhora da nobre família dos Mesquitas.