Distrito Federal (Brasil)

Distrito Federal
Bandeira do Distrito Federal
Brasão do Distrito Federal
BandeiraBrasão
Lema: VENTVRIS VENTIS
(Aos Ventos Vindouros)
Hino: Hino do Distrito Federal (Brasil)
Gentílico: brasiliense ou candango[1]

Localização do Distrito Federal no Brasil

Localização
 - RegiãoCentro-Oeste
 - Estados limítrofesGoiás (S, O, N e L) e Minas Gerais (SE)
 - Regiões geográficas intermediárias1
 - Regiões geográficas imediatas1
 - Regiões administrativas (RA's)31
Sede do governoBrasília[2]
Governo
 - Governador(a)Rodrigo Rollemberg (PSB)
 - Vice-governador(a)Renato Santana (PSD)
 - Deputados federais8
 - Deputados distritais24
 - SenadoresCristovam Buarque (PPS)
José Reguffe (Independente)
Hélio José (PROS)
Área 
 - Total5 779,999 km² (27º) [3]
População2017
 - Estimativa3 039 444 hab. (20º)[4]
 - Censo 20102 562 963 hab.
 - Densidade525,86 hab./km² ()
Economia2010
 - PIBR$ 149 906 000 bilhões ()
 - PIB per capitaR$ 58 489 ()
Indicadores2010/2015[5][6]
 - Esper. de vida (2015)77,8 anos ()
 - Mort. infantil (2015)10,8‰ nasc. (22º)
 - Alfabetização (2010)96,7% ()
 - IDH (2010)0,824 () – muito elevado [7]
Fuso horárioUTC−03:00
Climatropical Aw
Cód. ISO 3166-2BR-DF
Site governamentalhttp://www.df.gov.br/

Mapa do Distrito Federal

O Distrito Federal é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Situado na Região Centro-Oeste, é a menor unidade federativa brasileira e a única que não tem municípios, sendo dividida em 31 regiões administrativas, totalizando uma área de 5 779,999 km². Em seu território, está localizada a capital federal do Brasil, Brasília, que é também a sede do governo do Distrito Federal.

O Distrito Federal é praticamente um enclave no estado de Goiás, não fosse a pequena divisa de pouco mais de dois quilômetros de extensão com o estado de Minas Gerais, marcada pela passagem da rodovia DF-285. Por via terrestre, o Distrito Federal se conecta a Minas Gerais por uma pequena ponte de 130 metros sobre o rio Preto.[8][9]

O atual Distrito Federal foi idealizado por um projeto do então presidente Juscelino Kubitschek de mudança da capital nacional da cidade do Rio de Janeiro para o centro do país.[10]

Durante o império, o predecessor ao Distrito Federal atual era o Município Neutro, onde se situava a corte, na cidade do Rio de Janeiro. Depois da Proclamação da República, a cidade do Rio de Janeiro tornou-se a capital federal, que, no início da década de 1960, foi transferida para Brasília, no centro do Brasil, no leste do estado de Goiás e a oeste do estado de Minas Gerais, no atual Distrito Federal. Quando de sua transferência, o território onde se localizava anteriormente o antigo Distrito Federal, onde a cidade do Rio de Janeiro se situava, passou a ser o estado da Guanabara (de 1960 a 1975).[10] Com a reordenação republicana do território brasileiro, as províncias passaram a estados e cada um deles passou a ser uma unidade da federação. Quase todos os estados surgiram das províncias de mesmos nomes, exceto o Distrito Federal e outros estados criados pela divisão territorial, como, por exemplo a divisão de Goiás, em que o território norte passou a ser o estado do Tocantins e o sul permaneceu Goiás.[10]

Etimologia

O topônimo "Distrito Federal" (pronúncia em português: [d(ʒ)iʃˈtɾitu fedeˈɾaw]) é uma versão brasileira de distrito federal, utilizada normalmente em países que se organizam de forma federal. No Brasil Império, a cidade do Rio de Janeiro passou a compreender-se em um Município Neutro a partir de 1834.[11] Após a Proclamação da República, em 1891, quando da promulgação da Constituição Federal de 1891, este ente transformou-se em Distrito Federal, mantendo a antiga capital imperial como sede do novo regime político.[12] Com a mudança dos três poderes do Sudeste para o Centro-Oeste do Brasil, o novo Distrito Federal passou a sediar a nova capital, Brasília, de acordo com a Constituição de 1946.[12]

Um dos gentílicos tanto do Distrito Federal como de Brasília é "brasiliense", que significa "brasileiro". O termo "candango", que é também utilizado para designar tanto os habitantes quanto os nascidos em Brasília, foi originalmente usado pelo presidente Juscelino Kubtschek para se referir aos trabalhadores que, em sua maioria provenientes da Região Nordeste do Brasil, foram contratados ou migravam à região da futura capital para sua construção, com o passar do tempo passou a representar também seus descendentes nascidos na cidade. Uma das interpretações sobre seu significado diz que o termo "candango" era usado pelos africanos para designar os portugueses. A denominação é derivada de uma língua africana e possuía originalmente a conotação de "ordinário, ruim",[1] embora alguns dicionários apontem como de origem duvidosa.[13] Assim como o termo "gaúcho", também de origem depreciativa, mas que com o tempo tornou-se razão de orgulho para os nascidos na região Sul do Brasil, além de Uruguay e Argentina, também o gentílico "candango" é utilizado por muitos habitantes de Brasília, nascidos ou não na capital, por significar ainda aqueles que continuam a contribuir para construir o presente e o futuro da capital de todos os brasileiros.