Diarquia
English: Diarchy

Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde março de 2011). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não acadêmico)

Diarquia (do grego: "δύο", e "αρχειν", "a lei") é uma forma de governo em que a chefia é compartilhada por dois chefes de Estado. Na maior parte das diarquias, o diarca mantém a sua posição para a vida e passa as suas responsabilidades e poderes aos seus filhos ou familiares, quando morre. O diarca é uma das mais antigas formas de governo e tem sido ao longo de vários séculos. As diarquias são conhecidas desde a Antiguidade, tendo estado presente em Esparta, Roma, Cartago, bem como em tribos dácias e germânicas. Várias sociedades antigas polinésias tiveram esta estrutura política. O Império Inca também esteve assim estruturado, com dois ocupantes de cada categoria, mas com diferente prestígio, um hanan (superior) e um hurin (inferior). No uso moderno, pode-se aplicar a organizações e a governos. Essas "diarquias" não são hereditárias. Exemplos de formas modernas são os governos de São Marino, Andorra e da Irlanda do Norte. As reformas de Montagu-Chelmsford da Índia Britânica, prescreveram uma "diarquia" de ministros que foram individualmente responsáveis perante o poder legislativo, e a Organização da Defesa australiana funciona também como uma "diarquia".

Andorra e Suazilândia são os únicos dois países no Mundo que, actualmente, funcionam como diarquias, em que os seus diarcas são conhecidos como copríncipes, sendo seus chefes de Estado, no caso de Andorra, enquanto que em Suazilândia, são chamados de ngwenyama (título usado para o diarca masculino) e nndlovukati, para a diarca do sexo feminino (o título também é equivalente ao conceito de rainha-mãe em outras nações).

  • ver também

Ver também

Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia .