Década de 1990
English: 1990s

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde setembro de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser acadêmico)

A década de 1990, também referida como década de 90 ou ainda anos 90, compreende o período de tempo entre 1 de janeiro de 1990 e 31 de dezembro de 1999.

SÉCULOS:Século XIXSéculo XXSéculo XXI
DÉCADAS:1940195019601970199020002010202020302040
ANOS:19901991199219931994199519961997199819992000

Visão geral

Os anos 90 iniciaram com o colapso da União Soviética e o fim da Guerra Fria, sendo esses seguidos pela consolidação da democracia, globalização e capitalismo global. Fatos marcantes para a década foram a Guerra do Golfo e a popularização do computador pessoal e da Internet. A prosperidade econômica experimentada por muitos países durante a década de 1990 foi de natureza semelhante a que foi experimentada nas décadas de 1920 e 1950. Cada período de prosperidade foi o resultado de uma mudança de paradigma nos assuntos globais. As mudanças nas décadas de 1990 ocorreram em parte como resultado da conclusão da Guerra Fria.

Otimismo e esperança seguiram o colapso do Comunismo, mas os efeitos colaterais do fim da Guerra Fria estavam só começando, como o advento terrorista em regiões do Terceiro Mundo, especialmente na Ásia. O Primeiro Mundo experimentou crescimento econômico estável durante toda a década. O Reino Unido, depois de uma recessão em 1991-92 e a desvalorização da libra, conseguiu 51 bimestres seguidos de crescimento que se seguiram no novo século. Até nações com menor representatividade econômica como a Malásia tiveram aperfeiçoamentos gigantescos. Mas deve-se notar que a economia dos Estados Unidos permaneceu sem crescimento durante a primeira metade da década.

Muitos países, instituições, companhias e organizações consideraram os anos 90 como "tempos prósperos".

Politicamente, os anos 90 foram de democracia expansiva. Os antigos países do Pacto de Varsóvia logo saíram de regimes totalitários para governos eleitos. O mesmo ocorreu com países em desenvolvimento (Taiwan, Chile, África do Sul e Indonésia).

Apesar da prosperidade e democracia, houve um "lado maléfico" significativo. Na África, o aumento nos casos de AIDS e inúmeras guerras levaram á diminuição da expectativa de vida e nada de crescimento econômico. Em ex-nações soviéticas, havia fuga de capital e o PIB decrescente. Crises financeiras nos países em desenvolvimento foram comuns depois de 1994, apoiados pela globalização. E eventos trágicos como as guerras dos Bálcãs, genocídio de Ruanda, a Batalha de Mogadíscio e a primeira Guerra do Golfo, assim como o crescimento do terrorismo, levou à idealização do choque de civilizações. Mas esses fatos foram apenas relembrados com relevância na década de 2000.

A cultura jovem aceitou o Grunge como mídia e foi muito diversificada se ramificando em tribos num universo social muito diverso que foi desde o superficialismo e consumismo até a militância ambientalista e antiglobalizante. A expressão nas roupas e através de tatuagens e piercings também foi marcante, bem como o consumo de drogas com o surgimento do ecstasy ligado a cultura de música eletrônica o aumento no consumo de maconha na classe média. No Brasil o jovem se viu envolvido cada vez mais com sexo em idade precoce e também foi vitima do aumento da violência nos grandes centros urbanos. Começaram a serem exibidos diversos comerciais anti-drogas com a frase final: "Drogas, nem morto"

No Brasil

Os anos 90 começaram com instabilidade, com o confisco de poupanças do presidente Fernando Collor.[1][2] Os negócios escusos de Collor mais tarde levariam milhares de jovens (mobilizados por uma forte campanha de mídia) a criarem o movimento dos "caras-pintadas" e pedirem seu impeachment.[3]

No governo seguinte (Itamar Franco), o país experimentou estabilidade econômica e crescimento com o Plano Real (1994)[2], que igualava a paridade da moeda e do dólar por meio de uma banda cambial.[4] O Ministro da Fazenda que implementou o Real, Fernando Henrique Cardoso, se elegeria presidente por duas vezes seguidas naquela década, ganhando sua reeleição após mudar a Constituição.[5] O sistema de bandas cambiais mostrou fragilidades ao fim da década, tendo impactos no aumento da pobreza. Com as reservas cambiais comprometidas, a moeda tornou-se flutuante em janeiro de 1999, após não suportar as pressões especulativas junto à crise russa de 1998.[5] O presidente também trouxe a volta do Fusca, denominado Fusca Itamar. O Fiat Uno passou a ter a nomenclatura Mille.

A cultura brasileira tornou-se mais valorizada, com a ressurreição do cinema e a boa recepção de músicos brasileiros no exterior. O esporte também passou por bons momentos, com 25 medalhas olímpicas e títulos mundiais no futebol masculino e basquete feminino.

Arquitetura

Tem se destaque o surgimento da arquitetura neo moderna como uma forma dominante de arquitetura nesta última década do século XX, especialmente em escritórios corporativos. Edifícios neomodernistas, como os modernistas, são projetados para serem largamente monolíticos e funcionais. Ao lado deste tipo de arquitetura também há a presença da arquitetura high-tech (surgida na década de 1970);

Tecnologia

Os anos 90 trouxeram um grande desenvolvimento tecnológico, tornando populares e aperfeiçoando tecnologias inventadas na década de 80.

O videogame Super Nintendo é um ícone dos anos 90, lançado em 1990, vendeu 50 milhões de unidades pelo mundo durante essa década.

Ciência

Guerras e política

George Bush no Iraque
Em Moscou, Boris Iéltsin deixa a presidência após uma década de pesadelos. Vladimir Putin assume como promessa de reconstruir a Rússia.

Economia

Com a assinatura do Tratado de Assunção, o Mercosul é ratificado em 1991.
Em 1997 a Princesa Diana morre em um acidente de carro em Paris, na França.

Outros

  • O impacto do ser humano no meio ambiente se torna mais reconhecido.
  • Divórcio e escândalo na Família Real Britânica.
  • Mortes (controversa) de Kurt Cobain, vocalista da banda de Grunge, Nirvana, Stevie Ray Vaughan músico de blues e um dos maiores guitarristas da história.
  • Os atentados de Oklahoma City, no qual um terrorista americano explode prédios federais e mata 168.
  • O cantor e compositor Cazuza, símbolo da rebeldia da juventude dos anos 80, morre no começo da década aos 32 anos em 7 de julho de 1990.
  • Crime nos EUA sobe em 1991, e começa a cair no ano seguinte. No Brasil, aumenta.
  • Freddie Mercury, vocalista do grupo Queen, morre em decorrência da AIDS, no ano de 1991.
  • A atriz Daniella Perez que atuava na novela de sua mãe Glória Perez, De Corpo e Alma é assassinada com golpes de punhal pelo colega de elenco Guilherme de Pádua e sua até então mulher Paula Thomaz (hoje Paula Nogueira Peixoto) em 28 de dezembro de 1992 causando comoção popular.
  • Os dois maiores astros da música pop vêm ao Brasil pela primeira vez: Michael Jackson em 1993 (em carreira solo, pois com o grupo Jackson Five veio ao país em 1974) e Madonna, no mesmo ano.
  • O surgimento do protesto em massa com o governo de Clinton e bandas anti-políticas como Rage Against The Machine mexem com o gosto da população e se torna mundialmente famosa pelas suas entrevistas pesadas na televisão mundial contra o governo.
  • Morre, aos 27 anos, o vocalista da banda Nirvana, Kurt Cobain, em abril de 1994. A banda estava no auge do sucesso e, até hoje, é uma das melhores bandas de grunge que já existiu.
  • O grupo Mamonas Assassinas se consolida como o maior fenômeno da música brasileira com o maior número de vendagem de discos em menos tempo no ano de 1995. No ano de 1996, o grupo sofre um acidente de avião que tirou a vida de todos os integrantes da banda.
  • O polêmico rapper Tupac Shakur é assassinado na cidade de Las Vegas em 1996.
  • Renato Russo, vocalista da banda Legião Urbana, morre em decorrência da AIDS no dia 11 de outubro de 1996, causando o fim da banda no mesmo ano.
  • Em julho de 1997, ocorre o suspeito assassinato do estilista Gianni Versace, baleado nos degraus de sua mansão em Miami Beach.
  • Princesa Diana morre em um acidente de carro (controverso) em 31 de agosto de 1997.
  • Madre Teresa de Calcutá morre aos 87 anos em 1997.
  • Em 1997 o golfista Tiger Woods vence o Torneio de Masters, sendo o mais jovem (21) e o primeiro negro a fazê-lo.
  • Um dos maiores nomes da musica brasileira, Tim Maia, morre em 8 de março de 1998 aos 55 anos, após passar mal durante as gravações de um especial televisivo, devido a uma crise hipertensiva e um edema pulmonar.
  • Em junho de 1998, Luís José da Costa, Leandro da dupla Leandro & Leonardo, morre de falência múltipla de órgãos, em decorrência de um tipo raro de câncer no pulmão, chamado Tumor de Askin.
  • Massacre de Columbine: dois estudantes americanos matam 12 colegas e se suicidam na sua escola em Littleton, Colorado em 20 de abril de 1999.
  • John F. Kennedy, Jr., a esposa e a cunhada morrem num acidente de avião em julho de 1999.
  • Lance Armstrong ganha a Volta da França em 1999, dois anos após um câncer de testículo.

Líderes