Cultura da Bélgica

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2011). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser acadêmico)

A Cultura da Bélgica é muito rica em museus, prédios históricos e arte. Uma vez por ano tem um concurso de música chamado "Koningin Elisabeth Wedstrijd", onde todos os anos um tipo de instrumento clássico é escolhido.

Durante o verão, têm lugares muito festivais. Os mais conhecidos são: Werchter, Sfinks, Dour e Pukkelpop. Principalmente os jovens vão para ao som das músicas das bandas famosas nacionais e internacionais. Existem ainda festivais para adultos, alternativos, com músicas do mundo inteiro, e outros.

Um diferencial é a cerveja belga, existem mais de 450 tipos de cerveja.[carece de fontes?] As cervejas do tipo trapist só existem na Bélgica, há também cerveja feita de cereja-ácida, denominada Kriek. Todo tipo tem o seu próprio copo.

Há uma discussão sobre a cultura belga uma vez que requer discutir os aspectos da vida cultural compartilhado pelos belgas, independentemente da língua que falam e as diferenças entre as culturas das principais comunidades: o povo flamengo de Flandres e os francófonos de Bruxelas e Valónia - apesar de o agrupamento de Bruxelas e Valónia como uma comunidade cultural é, por vezes rejeitado, por exemplo pelo Manifesto para a cultura da Valónia, bem como certos regionalistas de Bruxelas.[1]

Culinária

A cozinha belga é influenciada pela culinária dos países vizinhos, como França (especialmente da região da Lorena) e pela culinária da cozinha da região Flandres e Valônia. Nas regiões costeiras é comum servir pratos com peixe e frutos-do-mar. Um dos pratos tradicionais é Moules Frites (mexilhões servidos com batatas fritas). Os belgas juram serem os seus inventores, servindo-as em abundância como lanches em pratos ou cones de papel cobertos de maionese ou um outro molho qualquer. Outro prato típico é Waterzooi, um guisado com peixe ou galinha. O médico e botânico flamengo Carolus Clusius jogou um papel importante na divulgação da batata na Bélgica; desde sua introdução, a batata faz parte da cozinha rústica típica do país. O chocolate belga é reconhecido pelo alto padrão de qualidade na produção. Outros doces, como Wafel, Spéculoos e Praline, não são menos populares. Depois da refeição principal e antes da sobremesa é comum servir um dos queijos típicos da Bélgica, como por exemplo o Limburger. A cerveja, com marcas como Kriek, Hoegaarden, Leffe, La Binchoise e Chimay reconhecidas mundialmente, valorizam ainda mais a cultura cervejeira do país.