Cobá
English: Coba

Disambig grey.svg Nota: "Coba" redireciona para este artigo. Para o músico japonês, veja Yasuhiro Kobayashi.
Cobá
A Pirâmide Ixmoja, do Cojnunto Nohoch Mul de Cobá
Localização atual
Cobá está localizado em: México
Cobá
Localização de Cobá no México
Coordenadas20° 29' 41" N 87° 44' 10" O
PaísMéxico
RegiãoPenínsula do Iucatão
EstadoQuintana Roo
Dados históricos
Fundaçãoc. século I d.C.
Abandonomeados do século XVI
Apogeuséculos VI a X
CivilizaçãoMaia
Notas
Estado de conservaçãoem ruínas
Acesso públicoSim
Mapa do sítio arqueológico

Cobá é uma antiga cidade pré-colombiana em ruínas da civilização maia, localizada no estado de Quintana Roo, península do Iucatão, no sudeste do México. A maior parte da cidade foi construída em meados do período clássico da civilização maia, entre os anos 500 e 900 d.C. Após o início do século XI a cidade perdeu importância política, ainda que pareça ter conservado a sua importância simbólica e ritual, que lhe permitiu recuperar certa proeminência entre 1200 e 1500, quando se construíram diversos edifícios já de estilo costa oriental.

A cidade de Cobá governava um território importante e lutava contra a cidade maia-tolteca de Chichén Itzá. Tinha relações comerciais com as pequenas cidades maias da costa do mar das Caraíbas, como Xcaret, Xel-Há, Tankan e Tulum, e tinha um observatório astronómico, um campo de jogos para o denominado jogo da bola e uma pirâmide pequena logo na entrada da zona arqueológica.

O sítio arqueológico é o fulcro da maior rede de caminhos empedrados do antigo mundo maia e nele foram encontradas várias estelas que documentam ritos cerimoniais e eventos importantes do período clássico tardio (600-900).[1] A aldeia moderna atual homónima tinha 1 278 habitantes em 2010.[carece de fontes?]

Localização e descrição

As ruínas de Cobá situam-se cerca de 50 km a noroeste de Tulum,[2] outra cidade maia na costa do mar das Caraíbas que provavelmente foi o porto de Cobá, 110 km a oeste de Playa del Carmen, 130 km a sudoeste de Cancún, 60 km a sudeste de Valladolid e 106 km a leste-sudeste do sítio maia de Chichén Itzá (distâncias por estrada).[carece de fontes?]

As ruínas rodeiam duas lagoas (os lagos Cobá e Macanxoc). Do centro da antiga cidade saem várias estradas elevadas feitas em gesso e pedra em direção a vários sítios mais pequenos, alguns próximos e outros distantes. Estas estradas são chamadas sacbejo'ob (singular: sacbé; "estrada branca"). Algumas delas dirigem-se para leste e a mais extensa vai até Yaxuná, situada a mais de 100 km a oeste de Cobá. O sítio arqueológico inclui um grupo de grandes templos piramidais conhecido como Nohoch Mul. O mais alto desses templos, a pirâmide Ixmoja tem cerca de 42 metros de altura;[3] é uma das pirâmides mais altas do Iucatão, com menos 3 metros que a de Calakmul.[4]

Estima-se que no seu apogeu a cidade tivesse pelo menos 50 000 habitantes, possivelmente bastante mais, e a área construída estende-se por cerca de 80 km². No século I d.C. a área era ocupada por uma população rural de dimensão assinalável e a maior parte das construções parecem datar de meados e finais do período clássico, aproximadamente entre os anos 500 e 900. A maior parte das inscrições hieroglíficas datadas são do século VII. Cobá continuou a ser uma cidade importante no período pós-clássico, tendo sido construídos novos templos e restaurados os antigos até pelo menos o século XIV e talvez até à chegada dos espanhóis no século XVI.[carece de fontes?]

A cidade tinha várias áreas residenciais, cada uma delas constituída por 15 casas agrupadas. Esses grupos de casas eram ligados por sacbés (estradas ou passeios elevados). Além de ligarem os conjuntos de casas estes caminhos empedrados ligavam todos os locais da cidade e as nascentes de água. As sacbés (ou sacbeob) são uma das principais características do local e foram determinantes para os arqueólogos saberem onde escavar, mapearem as ruínas e avaliarem as suas dimensões. Algumas das sacbés aparentemente não conduziam a qualquer local em especial.[carece de fontes?]