Cientologia

Cientologia é um conjunto de crenças e práticas relacionadas criado por L. Ron Hubbard (1911–1986), começando em 1952, como sucessor ao seus sistemas de auto-ajuda chamado Dianéticas.[1] Hubbard caracterizou a Cientologia como religião e em 1953 incorporou a Igreja da Cientologia em Camden, Nova Jersey.[2][3]

Cientologia ensina que as pessoas são seres imortais que se esqueceram de sua verdadeira natureza.[4] Seu método de reabilitação psiquiátrica espiritual é um tipo de aconselhamento conhecido como Auditoria, no qual os praticantes visam reviver conscientemente os eventos dolorosos ou traumáticos de seu passado a fim de libertar-se dos seus efeitos limitantes.[5] Os materiais de estudo e cursos de auditoria são disponibilizados aos membros em troca de doações específicas.[6] A Cientologia é reconhecida legalmente como uma religião isenta de impostos nos Estados Unidos, Itália,[7][8] África do Sul,[9] Austrália,[10] Suécia,[11] Nova Zelândia,[12][13] Portugal[14] e Espanha.[15][16][17][18][19] A Igreja da Cientologia enfatiza isso como prova de que é uma religião de boa-fé.[20] Em outros países, nomeadamente Canadá, França, Alemanha e no Reino Unido, a Cientologia não tem status religioso comparável embora suas Igrejas sejam permitidas.

A maioria dos países da Europa considera a Cientologia uma seita. Na Alemanha, a cientologia é monitorada nacionalmente pelo Bundesamt für Verfassungsschutz (BfV).[21] É público e notório que a Cientologia gasta milhões de dólares com advogados e detetives particulares para processar e espionar qualquer pessoa que se mostre uma ameaça aos seus negócios. A cientologia foi condenada definitivamente na França em 2013, por fraude e formação de quadrilha, depois que o Tribunal de Cassação, a instância judicial mais importante no país, rejeitou o recurso apresentado pela organização. Os juízes, na sentença de fevereiro de 2012 do Tribunal de Apelação, consideraram provado que as duas principais entidades da Cientologia na França contavam com uma estrutura destinada a extorquir pessoas vulneráveis.[22]

A justiça belga quer estabelecer um precedente internacional com uma condenação exemplar da Igreja da Cientologia, estabelecida na Bélgica desde 1974, acusada de fraude, violação da lei de proteção de dados pessoais (proteção da privacidade), extorsão e charlatanismo (exercício ilegal de medicina). O processo partiu de uma investigação que se prolongou por seis anos. Ofertas de emprego teriam sido feitas pela Igreja da Cientologia em Bruxelas para recrutar voluntários e novos membros, infringindo as rígidas leis trabalhistas belgas. A Igreja da Cientologia na Bélgica exigia aos interessados que aderissem aos seus princípios filosóficos.[23]

As filmagens sobre a tentativa de assassinato de Adolf Hitler no filme Operação Valquíria, com Tom Cruise no papel principal, foram proibidas em área militar alemã (em torno do Memorial Bendlerblock, em Berlim), pelo fato do protagonista pertencer à Igreja da Cientologia. Além de ser o produtor, Tom Cruise fez o papel principal, interpretando o herói alemão Claus Schenk Graf von Stauffenberg, que tentou assassinar Adolf Hitler com uma bomba escondida em uma pasta em julho de 1944.[24] Na Alemanha membros da Cientologia estão constantemente sob vigilância do Bundesamt für Verfassungsschutz (BfV) (Escritório Federal para Proteção da Constituição), cujo trabalho é monitorar atividades antidemocráticas como partidos políticos neonazistas, células terroristas e seitas.[25]

Na Alemanha, o governo quer suprimir a existência das Parallelgesellschaften (sociedades paralelas) baseadas em convicções filosóficas separadas por meio do sistema educacional. Para o diretor da Associação Alemã de Professores de Escolas Primárias, aulas particulares conduzidas por cientologistas podem tirar vantagem da vulnerabilidade das crianças com dificuldades de aprendizado, que podem se sentir inferiores, o que as torna mais influenciáveis. A qualidade do ensino é, de um modo geral, muito boa e os custos são acessíveis, no entanto, os professores encorajam os estudantes a participar de outras classes, frequentemente muito mais caras, prometendo transformar o aluno em uma nova pessoa.[26]

Um grande número de organizações que supervisionam a aplicação da Cientologia foram estabelecidas,[27] a mais notável delas sendo a Igreja da Cientologia. A Cientologia patrocina uma variedade de programas de serviço social.[27][28] Estas incluem a Narconon, programa antidrogas, a Criminon, programa de reabilitação em prisões, a Study Tech, metodologia de educação, a Volunteer Ministers, o World Institute of Scientology Enterprises e um conjunto de diretrizes morais expressas em um livreto chamado The Way to Happiness.[29]

A Igreja da Cientologia é um dos mais controversos movimentos religiosos surgidos no século XX. Tem sido muitas vezes descrita como um culto que faz lavagem cerebral,[30] defrauda e abusa financeiramente de seus membros, cobrando taxas exorbitantes por seus serviços espirituais[6][31][32] Em resposta, os cientologistas têm argumentado que é um movimento religioso genuíno e que tem sido deturpado, caluniado e perseguido.[33] A Igreja da Cientologia tem usado de forma consistente litígio contra seus críticos, e sua agressividade processando seus inimigos tem sido condenada como assédio.[34][35] As controvérsias centram-se na crença da Cientologia que as almas ("thetans") reencarnaram e viveram em outros planetas antes de viverem na Terra,[36] e que alguns dos ensinamentos relacionados não são reveladas aos praticantes até que eles paguem milhares de dólares para a Igreja da Cientologia.[37][38] Outra crença controversa assegurada pelos cientologistas é de que a prática de psiquiatria é destrutiva, abusiva e deve ser abolida.[39][40]

Etimologia e uso anterior

L. Ron Hubbard em 1950

A palavra Cientologia é um emparelhamento da palavra latina scientia ("conhecimento", "habilidade"), que deriva do verbo scīre ("saber"), e da palavra em grego λόγος lógos ("palavra" ou " relato [sobre]").[41][42]

A palavra Cientologia usada por L. Ron Hubbard, vem do latim scio, que significa "conhecimento, no sentido mais pleno da palavra" e da palavra grega logos, que significa "estudo de". A palavra Cientologia é ainda definida como "o estudo e manejo do espírito em relação a si mesmo, universos, e outras formas de vida."[43]

Em 1901, Allen Upward cunhou Cientologia "como um termo depreciativo, para indicar uma cega e irracional aceitação de doutrina científica" de acordo com o Internet Sacred Text Archive como citado no prefácio da edição recente do livro de Upward, The New Word: On the meaning of the word Idealist pela Forgotten Books.[44] Continuando a citação, o editor escreve: "Eu não estou ciente de qualquer evidência de que Hubbard sabia deste livro bastante obscuro."[45]

Em 1934, filósofo Anastácio Nordenholz publicou um livro que usou o termo para significar "ciência da ciência".[46] Também é incerto se Hubbard estava ciente desse uso anterior da palavra.[47]

Dianéticas

A Cientologia foi desenvolvida por L. Ron Hubbard como uma sucessora para o seu sistema anterior de auto-ajuda chamado de Dianética. A Dianética usa uma técnica de aconselhamento conhecido como auditoria, desenvolvida por Hubbard para permitir lembrança consciente de eventos traumáticos no passado de um indivíduo.[5] Esse sistema foi originalmente destinado a ser um novo tipo de psicoterapia e não era esperado se tornar a base de uma nova religião.[48][49] Hubbard definiu a Dianética de várias maneiras como uma tecnologia de cura espiritual e uma ciência organizada do pensamento.[50] A declarada intenção da Dianética é libertar os indivíduos da influência de traumas passados ​​pela sistemática exposição e remoção das reminiscências que esses eventos deixaram para trás, em um processo chamado de limpeza.[50]

A Igreja da Cientologia

A Igreja Fundadora da Cientologia em Washington DC

Em 1952, Hubbard construiu sobre a estrutura existente estabelecida da Dianética e publicou um novo conjunto de ensinamentos como Cientologia, uma filosofia religiosa.[51] Em dezembro de 1953, Hubbard incorporou três igrejas - uma "Igreja da Ciência Americana", a "Igreja da Cientologia" e uma "Igreja da Engenharia Espiritual" - em Camden, New Jersey.[52] Em 18 de fevereiro de 1954, com a bênção de Hubbard, alguns de seus seguidores criaram a primeira Igreja local da Cientologia, a Igreja da Cientologia da Califórnia, adotando os "objetivos, finalidades, princípios e credos da Igreja da Ciência Americana, como fundada por L. Ron Hubbard."[52][53] O movimento espalhou-se rapidamente através dos Estados Unidos e para outros países de língua inglesa como Inglaterra, Irlanda, Sul da Africa e Austrália.[54] A segunda Igreja local da Cientologia a ser criado, após a da Califórnia, estava em Auckland, Nova Zelândia.[54] Em 1955, Hubbard criou a Igreja Fundadora da Cientologia em Washington, D.C.[55] Em 1957, Igreja da Cientologia da Califórnia recebeu concessão de estatuto de isenção fiscal por parte dos Estados Unidos Receita Federal (IRS), e assim, por um tempo, existiu ainda outras igrejas locais.[56][57] IEm 1958, no entanto, a Receita Federal iniciou uma revisão da adequação desse status.[56]

A Igreja experimentou novos desafios. O FDA iniciou uma investigação sobre as alegações da Igreja da Cientologia feitas em conexão com seus E-meters.[56] Em 4 de janeiro de 1963 eles invadiram os escritórios da Igreja da Cientologia e apreenderam centenas de e-meters como sendo dispositivos médicos ilegais. Os dispositivos já foram obrigados a ter um aviso dizendo que são um artefato puramente religiosa.[58]

Em meados dos anos sessenta, a Igreja da Cientologia foi proibida em vários estados australianos, começando com Vitória em 1965.[59] A proibição foi baseada no Relatório de Anderson, que constatou que o processo de auditoria envolvia hipnose de "comando", em que o hipnotizador assume "controle autoritário positivo" sobre o paciente. Neste ponto, o relatório afirma:

É firme conclusão deste Conselho sobre a maioria das técnicas da Cientologia e dianética são de hipnose autoritária e, como tal, são perigosas ... a evidência científica que o Conselho ouviu de vários peritos de reconhecida reputação ... leva à conclusão inevitável de que apenas o nome difere a hipnose autoritária das técnicas da Cientologia. Muitas técnicas da cientologia são de fato técnicas hipnóticas e Hubbard não mudou a sua natureza, apenas alterou seus nomes.[60]

A Igreja australiana foi forçada a operar sob o nome de "Igreja da Nova Fé", como resultado, o nome e a prática da Cientologia têm se tornado ilegal nos estados relevantes.[59] Several years of court proceedings aimed at overturning the ban followed.[59]

No decorrer do desenvolvimento de Cientologia, Hubbard promoveu rápidas mudanças de ensinamentos que eram muitas vezes contraditórios.[61][62] Para o quadro interno de cientologistas desse período, o envolvimento não dependia tanto na crença de uma doutrina particular, mas na fé inquestionável em Hubbard.[61] Em 1966, Hubbard deixou o cargo de diretor-executivo da Cientologia para se dedicar à pesquisa e à escrita.[55][63] No ano seguinte, ele formou a Organização Sea ou Sea Org, que seria desenvolvida para um grupo de elite dentro da Cientologia.[55][64] O Sea Org tem base em três navios, chamados Diana, Atena e Apolo.[64] Um mês após o estabelecimento da Sea Org, Hubbard anunciou que havia feito uma descoberta revolucionária, cujo resultado foram os materiais da "OT III" que pretendem fornecer um método para superar fatores inibidores do progresso espiritual.[64] Estes materiais foram divulgadas pela primeira vez nos navios e depois propagados pelos membros da Sea Org redesignados como funcionários das Organizações Avançadas em terra.[64]

Em 1967, a Receita Federal dos EUA removeu o status de isenção fiscal da Cientologia, afirmando que suas atividades eram comerciais e operadas para o benefício de Hubbard e não para fins de caridade ou religião.[57] A decisão resultou em um processo judicial que foi resolvido em favor da Igreja, um quarto de século mais tarde. Este foi o mais longo processo judicial na história da Receita Federal americana[56]

Em 1979, como resultado de investigações do FBI durante a Operação Branca de Neve, onze pessoas seniores no Gabinete do Guardião da igreja foram condenados por obstrução da justiça, roubo de escritórios do governo e roubo de documentos de propriedade do governo. Em 1981, a Cientologia levou o governo alemão ao tribunal pela primeira vez.[65]

Em 1 de Janeiro de 1982, a Cientologia estabeleceu o centro Religious Technology Center (RTC) para supervisionar e garantir a aplicação do padrão da tecnologia da Cientologia.[66] e em 11 de novembro de 1982, a Free Zone foi fundada por ex-cientologistas avançados em desacordo com a RTC.[67] A associação Free Zone foi fundada e registrada sob as leis da Alemanha e acredita que a Igreja da Cientologia se afastou de sua filosofia de origem.[68]

Em 1983, em uma decisão unânime, a Alta Corte da Austrália reconheceu a cientologia como religião na Austrália, derrubando as restrições que limitavam as atividades da igreja após o Relatório de Anderson.[69]

Em 24 de janeiro de 1986, L. Ron Hubbard morreu em sua fazenda perto de San Luis Obispo, Califórnia e David Miscavige tornou-se o chefe da organização.

A partir de 1991, pessoas ligadas à Cientologia moveram cinquenta ações judiciais contra o Cult Awareness Network (CAN), um grupo de críticos à Cientologia.[70] Embora muitos dos fatos fossem descartados, uma das ações movidas contra o Cult Awareness Network resultou em dois milhões de dólares em perdas para a rede.[70] Consequentemente, a organização foi obrigada a declarar falência.[70] Em 1996, Steven L. Hayes, um cientologista, comprou o logotipo e os pertences da falida Network Awareness Cult[70][71] e um novo Cult Awareness Network foi criado com o apoio da Cientologia; o grupo funciona como um centro de informação e de networking para as religiões não-tradicionais, referindo-se como um interlocutor entre acadêmicos e outros especialistas.[72][73]

Em 1993, uma ação judicial da Igreja da Cientologia contra Steven Fishman, um ex-membro da Igreja, trouxe à tona o depoimento deste sobre a Cientologia o qual incluía dezenas de páginas do outrora secreto esoterismo da Cientologia, detalhando aspectos da sua cosmogonia.[74] Como resultado do litígio, este material, outrora bem resguardado e usado apenas nos "níveis de OT" mais avançados da Cientologia, foi divulgado na Internet. [74] Isto resultou em uma batalha entre a Igreja da Cientologia e seus críticos on-line sobre o direito de divulgar este material, ou proteger a sua confidencialidade.[74] A Igreja da Cientologia foi forçada a emitir um comunicado de imprensa reconhecendo a existência desta cosmogonia, ao invés de permitir que seus críticos "distorcessem e abusassem dessas informações para seus próprios fins." [74] Mesmo assim, o material, nomeadamente a história de Xenu, desde então tem sido amplamente divulgado e utilizado para caricaturar a Cientologia, apesar do vigoroso programa da Igreja em litígio por direitos autorais.[74]