Christopher Reeve

Christopher Reeve
Christopher Reeve em 1985, sendo entrevistado após a noite de estréia da peça The Marriage of Figaro, em Nova Iorque.
Nome completoChristopher D'Olier Reeve
Nascimento25 de setembro de 1952
Nova Iorque, Estados Unidos
NacionalidadeNorte-americano
Morte10 de outubro de 2004 (52 anos)
Mount Kisco, Estados Unidos
OcupaçãoAtor e ativista
Atividade1970–2004
CônjugeDana Reeve (1990–2004)
Filho(s)3
Prémios Screen Actors Guild
Melhor Ator em Minissérie ou Telefilme
1999 - Rear Window
Página oficial

Christopher D'Olier Reeve (Nova Iorque, 25 de setembro de 1952 - Mount Kisco, 10 de outubro de 2004) foi um ator, diretor, produtor e ativista norte-americano. Seu papel mais famoso foi como o Super-Homem, que ele interpretou numa série de quatro filmes famosos, começando por Superman (1978), para qual foi indicado a um prêmio BAFTA.Reeve apareceu em outros filmes aclamados pela crítica como The Bostonians (1984), Street Smart (1987) e The Remains of the Day (1993). Ele recebeu um Screen Actors Guild Award e uma indicação ao Globo de Ouro pelo seu desempenho no telefilme Rear Window (1998), remake do clássico de mesmo nome, lançado em 1954.

Em 25 de maio de 1995, Reeve ficou tetraplégico após sofrer um acidente a cavalo durante uma competição equestre em Culpeper, passando a usar uma cadeira de rodas para se mover e um ventilador portátil para respirar. Reeve passou a liderar uma campanha pela legalização de pesquisas com células-tronco e fundou a Fundação Christopher Reeve, além de ter sido co-fundador do Centro de Pesquisa Reeve-Irvine. Faleceu em 10 de outubro de 2004 aos 52 anos de uma grave infecção, em virtude do seu estado de saúde.[1]

Biografia

Chris Reeve tornou-se famoso[2] ao protagonizar o papel de Superman no cinema, mas já era ator desde os 14 anos de idade, tendo estudado em prestigiadas escolas de artes cênicas. Iniciou sua carreira com pequenas participações no teatro e na televisão, obtendo seu primeiro bom papel em Alerta Vermelho: Netuno Profundo, em 1977. Mesmo tendo participado de outros bons filmes, como Em Algum Lugar no Passado, Vestígios do Dia e, Superman (filme) foi seu principal trabalho na vida cinematográfica.

“Ele foi colocado nesta Terra por... muitas razões. Ele não estava aqui apenas para ser um ator. Ele era um verdadeiro Super-Homem, o diretor do filme Superman (filme), Richard Donner, sobre Christopher Reeve”

Acidente

Christopher Reeve após o acidente (2003).

Em 27 de maio de 1995, um acidente (queda de um cavalo)[3] o tornou tetraplégico devido a fratura nas suas duas primeiras vértebras cervicais, o que acabou por lesionar a sua medula espinhal. Um ano depois, foi aclamado em pé na cerimônia do Oscar. A partir daí passou a lutar por pesquisas com células-tronco e criou a Christopher Reeve Paralysis Foundation, visando a melhorar a condição de vida de pessoas como ele, vítimas de algum tipo de paralisia. Em 27 de janeiro de 1996, foi condecorado com a Ordem Bernardo O'Higgins, como reconhecimento à defesa pública que fez dos atores chilenos durante a ditadura de Pinochet. Em setembro de 2003, ganhou o Prêmio Lasker.

Morte

Morreu em 10 de outubro de 2004 aos 52 anos, vítima de um infarto causado por uma infecção. Era casado desde 11 de abril de 1990 com a atriz Dana Reeve, que conhecera em 30 de junho de 1987 em Williamstown. Dana, desde o acidente de Christopher, dedicou-se exclusivamente a cuidar do esposo, uma tarefa que se provou laboriosa devido à gravidade de sua condição física.

Ela também morreu em 6 de março de 2006, vítima de um câncer pulmonar. Desta união nasceu um filho, Will. Christopher tinha mais dois filhos, Matthew e Alexandra, frutos de uma relação anterior de dez anos (1977-1987) com a modelo britânica Gae Exton. Seu último filho, Will, foi adotado pelo ator Robin Williams, de quem Christopher foi sempre muito amigo. No início da carreira de ambos, Christopher fez mais sucesso e ajudou Robin, que após o acidente, começou a retribuir a antiga ajuda. Com a morte de Christopher e logo após a morte de Dana, Robin adotou Will e o criou como se fosse seu próprio filho. O corpo do ator foi cremado.[4]