Chipre
English: Cyprus

Disambig grey.svg Nota: Para a província romana, veja Chipre (província romana).
Κυπριακή Δημοκρατία (grego)
Kypriakí Dimokratía
Kıbrıs Cumhuriyeti (turco)

República de Chipre
Bandeira de Chipre
Brasão de Armas de Chipre
BandeiraBrasão de Armas
Hino nacional: Ὕμνος εἰς τὴν Ἐλευθερίαν (Ymnos is tin Eleftherian)
("Hino à Liberdade")
Gentílico: Cipriota,
cíprio,[1] ciprense

Localização do Chipre

Localização de Chipre (em verde)
Na União Europeia (em verde claro)
No Continente europeu (em cinza)
CapitalNicósia
35°08'N 33°28'
Cidade mais populosaNicósia
Língua oficialGrego, turco
GovernoRepública presidencialista
 - PresidenteNicos Anastasiades
Independênciado Reino Unido 
 - Tratado de Zurique e Londres19 de fevereiro de 1959 
 - Declarada16 de agosto de 1960 
Entrada na UE1 de maio de 2004
Área 
 - Total9 251 km² (167.º)
 - Água (%)desprezável
População 
 - Estimativa para 20131 141 166[2] hab. (158.º)
 - Densidade123,4[3] hab./km² (82.º)
PIB (base PPC)Estimativa de 2014
 - TotalUS$ 27,516 bilhões*[4] (125.º)
 - Per capitaUS$ 30 882[4] (37.º)
PIB (nominal)Estimativa de 2014
 - TotalUS$ 23,263 bilhões*[4] (105.º)
 - Per capitaUS$ 26 109[4] (31.º)
IDH (2017)0,869 (32.º) – muito alto[5]
Gini (2011)29,1[6]
MoedaEuro (€) (EUR)
Fuso horário(UTC+2)
 - Verão (DST) (UTC+3)
Cód. ISOCY
Cód. Internet.cy
Cód. telef.+357
Website governamentalwww.cyprus.gov.cy

Mapa do Chipre

Chipre[nota 1] (em grego: Κύπρος; transl.: Kýpros pronunciado: [ˈcipros]; em turco: Kıbrıs pronunciado: [ˈkɯbɾɯs]), oficialmente República de Chipre (em grego: Κυπριακή Δημοκρατία; transl.: Kypriakí Dimokratía; em turco: Kıbrıs Cumhuriyeti) é um país insular no leste Mar Mediterrâneo, ao largo das costas da Síria e Turquia.[8] O Chipre é a terceira maior e mais populosa ilha no Mediterrâneo e um Estado-membro da União Europeia desde 2004. Ele está localizado ao sul da Turquia, a oeste da Síria e do Líbano, a noroeste de Israel, ao norte do Egito e a leste da Grécia.

A mais antiga atividade humana conhecida na ilha data do 10º milênio a.C. Vestígios arqueológicos deste período incluem a aldeia neolítica bem preservada de Choirokoitia e o Chipre é o lar de alguns dos poços de água mais antigos do mundo.[9] O país foi colonizado por gregos micênicos em duas ondas no 2º milênio a.C. Como uma localização estratégica no Oriente Médio, a ilha foi posteriormente ocupada por várias grandes potências, como os impérios de assírios, egípcios e persas, de quem o território foi anexado em 333 a.C. por Alexandre, o Grande. O país depois foi dominado pelo Egito ptolemaico, pelo Império Romano e pelo Império Romano do Oriente, por califados árabes por um curto período, pela dinastia francesa Lusignan e pelos venezianos, seguido por mais de três séculos de domínio otomano, entre 1571 e 1878 (de jure até 1914).[10]

O Chipre foi colocado sob administração britânica com base na Convenção de Chipre em 1878 e formalmente anexado pelo Império Britânico em 1914. Em 1960, Chipre, Grécia e o Reino Unido assinam um tratado que declara a independência da ilha, ficando os britânicos com a soberania das bases de Acrotíri e Deceleia. Makarios assume a presidência, mas a constituição indicava que os turco-cipriotas ficariam com a vice-presidência, com poder de veto, o que dificultou o funcionamento do governo e as relações entre greco-cipriotas e turco-cipriotas, desembocando em explosões de violência interétnica em 1963 e 1967. Em 15 de julho de 1974 um golpe pró-helênico depôs o governo legítimo, o que provocou a reação de Turquia, que, utilizando-se da suposta defesa dos interesses dos turco-cipriotas, invadiu e até hoje ocupa militarmente a parte norte da ilha - ocupação esta que já fora declarada ilegal pelo Conselho de Segurança da ONU, cujas resoluções ordenavam a retirada imediata das tropas turcas. Esta foi a origem da República Turca de Chipre do Norte, um Estado de facto que só é reconhecido pela Turquia e pela Organização para a Cooperação Islâmica.

A República do Chipre tem soberania de jure sobre toda a ilha de Chipre e suas águas circundantes de acordo com o direito internacional, exceto pelo território ultramarino britânico de Acrotíri e Deceleia, administrado como zonas de soberania do Reino Unido. No entanto, a República de Chipre é dividida de facto em duas partes principais; a área sob o controle efetivo da República, que compreende cerca de 59% da área da ilha, e o norte,[11] administrado pela autodeclarada República Turca do Norte de Chipre, que é reconhecida apenas pela Turquia e que cobre cerca de 36% área da ilha. A comunidade internacional considera a parte norte da ilha como um território da República de Chipre ocupado por forças turcas.[12][13] A ocupação é vista como ilegal sob a lei internacional, principalmente depois que o Chipre tornou-se membro da União Europeia.[14] O país é um importante destino turístico no Mediterrâneo.[15][16][17] Com uma economia de alta renda e um alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) muito elevado,[18][19] a República de Chipre é um membro da Commonwealth desde 1961 e foi membro fundador do Movimento de Países Não Alinhados, até que aderiu à UE em 1 de maio de 2004. Em 1 de Janeiro de 2008, a República de Chipre entrou para a Zona Euro.[20]

Etimologia

O registro mais antigo do termo Chipre é do século XV a.C., do grego micênico 𐀓𐀠𐀪𐀍, ku-pi-ri-jo,[21] [44] que significa "cipriota", (em grego: Κύπριος), escrito no roteiro silábico linear B.[22] A forma clássica grega do nome é Κύπρος (Kýpros).

A etimologia do nome do país ainda é desconhecida. Entre as possíveis explicações estão: a palavra grega para a árvore de cipreste Mediterrâneo (Cupressus sempervirens), κυπάρισσος (Kyparissos); o nome grego da planta henna (Lawsonia alba), κύπρος (Kypros); uma palavra da língua eteocipriota para o cobre. Georges Dossin, por exemplo, sugere que tem raízes na palavra suméria para o cobre (Zubar) ou para o bronze (Kubar), a partir dos grandes depósitos de minério de cobre encontrados na ilha. Por conta do comércio exterior, a ilha deu seu nome à palavra latina clássica para o cobre, através da frase aes Cyprium, ou "metal de Chipre", mais tarde encurtado para Cuprum.[23]