Ceará

Disambig grey.svg Nota: Cearense redireciona para este artigo. Para outros significados, veja Cearense (desambiguação) ou Ceará (desambiguação).
Estado do Ceará
Bandeira do Ceará
Brasão do Ceará
BandeiraBrasão
Lema: Terra da Luz
Hino: Hino do Ceará
Gentílico: cearense

Localização do Ceará no Brasil

Localização
 - RegiãoNordeste
 - Estados limítrofesPiauí, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco
 - Regiões geográficas intermediárias6
 - Regiões geográficas imediatas18
 - Municípios184
CapitalBrasão de Fortaleza.svg Fortaleza
Governo
 - Governador(a)Camilo Santana (PT)
 - Vice-governador(a)Izolda Cela (PDT)
 - Deputados federais22
 - Deputados estaduais46
 - SenadoresEunício Oliveira (PMDB)
Tasso Jereissati (PSDB)
José Barroso Pimentel (PT)
Área 
 - Total148 920 km² (17º) [1]
População2018
 - Estimativa9 075 649 hab. ()[2]
 - Censo 20108 452 381 hab.
 - Densidade60,94 hab./km² (11º)
Economia2016[3]
 - PIBR$ 138,379 bilhões (11º)
 - PIB per capitaR$ 15.437,75 (23º)
Indicadores2010/2015[4][5][6]
 - Esper. de vida (2015)73,6 anos (14º)
 - Mort. infantil (2015)15,1‰ nasc. (17º)
 - Alfabetização (2010)82,8% (22º)
 - IDH (2010)0,682 (17º) – médio [7]
Fuso horárioUTC−03:00
ClimaTropical e semiárido As, Bs'h
Cód. ISO 3166-2BR-CE
Site governamentalhttp://www.ceara.gov.br/

Mapa do Ceará

Ouça o artigo (info)
Este áudio foi criado a partir da revisão datada de 8 de novembro de 2009 e pode não refletir mudanças posteriores ao artigo (ajuda com áudio).

O Ceará é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está situado no norte da Região Nordeste e tem por limites o Oceano Atlântico a norte e nordeste, Rio Grande do Norte e Paraíba a leste, Pernambuco ao sul e Piauí a oeste. Sua área total é de 148 920,472 km²,[8] ou 9,37% da área do Nordeste e 1,74% da superfície do Brasil. A população do estado é de 9 075 649 habitantes, conforme estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2018, sendo o oitavo estado mais populoso do país.[9]

A capital e município mais populoso é Fortaleza, sede da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Outras cidades importantes fora da RMF são: Juazeiro do Norte e Crato, na Região Metropolitana do Cariri; Sobral, sede da Região Metropolitana de Sobral; Itapipoca, na região norte; Iguatu, na região centro-sul; Aracati, na região do Vale do Jaguaribe; e Quixadá e Quixeramobim na região dos Sertões Cearenses.[10] Na RMF, cidades importantes como Caucaia, Eusébio, Horizonte, Maranguape, Maracanaú, Aquiraz e São Gonçalo do Amarante, sede do Complexo Industrial e Portuário do Pecém, incrementam o Produto Interno Bruto cearense. O estado possui ao todo 184 municípios.[9]

É atualmente o décimo primeiro estado mais rico do país e o terceiro mais rico do Nordeste. A capital, Fortaleza, é o município com o maior PIB do Nordeste, e o nono maior do país.[11] O Ceará apresentava, em 2010, a melhor qualidade de vida do Norte-Nordeste, segundo a FIRJAN,[12] além do segundo melhor Índice de Desenvolvimento Humano da região.[7] O Ceará abriga um dos maiores parques aquáticos da América Latina,[13] o Beach Park, na praia do Porto das Dunas, que recebe cerca de 1,3 milhão de visitantes por ano.[13] O estado também abriga o quarto maior estádio de futebol do Brasil, o Estádio Governador Plácido Castelo (Castelão), que tem capacidade para mais de 64 000 pessoas.

O estado é conhecido nacionalmente pela beleza de seu litoral, pela religiosidade popular e pela fama de ser grande berço de talentos do humor. A jangada, ainda comum ao longo da costa, é considerada um dos maiores símbolos do povo e da cultura cearenses.[14] O Ceará concentra 55% de toda caatinga do Brasil e é o único estado do Nordeste-Sudeste a estar completamente inserido na sub-região do sertão. Terra de escritores como José de Alencar, Rachel de Queiroz, Patativa do Assaré, Juvenal Galeno, de Dom Hélder Câmara, Clóvis Beviláqua, Castelo Branco e de Padre Cícero, o "cearense do século".[15] O Ceará também revelou Chico Anysio, Renato Aragão e Tom Cavalcante, considerados os maiores humoristas do país;[16] atores e cineastas famosos como José Wilker, Gero Camilo, Luiza Tomé e Karim Aïnouz; além de nomes de destaque das ciências exatas, como Casimiro Montenegro Filho, Fernando de Mendonça, Maurício Peixoto, Cláudio Lenz Cesar, dentre muitos. O Ceará também é conhecido como "Terra da Luz", numa referência à grande quantidade de dias ensolarados, mas que, principalmente, remonta ao fato de o estado ter sido o primeiro da federação a abolir a escravidão, em 1884, quatro anos antes da Lei Áurea. Por esse fato, o jornalista José do Patrocínio cunhou o título de "a terra da luz" ao Ceará.[17]

Etimologia

Jandaia, ou aratinga, ave que dá nome ao estado.

Atribui-se historicamente ao topônimo ceará várias acepções, porém o mais conhecida e aceita diz significar "o cantar da jandaia". Segundo Manuel Ayres de Casal, ceará é nome composto de cemo — cantar forte, clamar — e ara — pequena arara — em língua tupi. Tal tese foi posteriormente confirmada e enriquecida pelo escritor José de Alencar.[18]

Embora o pensamento de José de Alencar acerca da origem do nome seja o mais sólido, João Mendes de Almeida Júnior o acusava de ser por demais poético em sua definição, "(...) mais consoante com o sentir de quem tão belamente descreve a sua terra natal como um país de primores, onde canta a jandaia nos galhos da carnaúba", e a classificava como carente de confirmação filológica. Mendes de Almeida lembrava, ainda, de alternativas a essa interpretação, como a de Senador Pompeu, que faz referência à junção de cemo-ará a partir de uma variante da língua tupi, cujo significado seria "rio nascente da serra", indicando o rio que nasce na Serra de Baturité e que deságua junto à Vila Velha, local onde foram lançados os primeiros fundamentos da capital cearense.[18]

Outra definição alternativa apontada por Mendes de Almeida é a de Antônio Bezerra, que afirma que o nome surgiu a partir das características da paisagem cearense, banhada pelo Oceano Atlântico e abundante de grandes tabuleiros costeiros e dunas, supostamente semelhante à paisagem dos "campos do continente negro", referindo-se à grande reginão desértica do Saara. Mendes de Almeida fez, também, uma apanhado de registros de expedições pelo território e de livros históricos, como os de Vicente do Salvador e Caspar Barlaeus, na busca de variantes da escrita de ceará, sem, contudo, achar nelas alguma pista para uma definição mais exata que a do autor de Iracema. João Brígido afirmava, ainda, que o nome do estado derivaria da corruptela de Siri-ará, também de raiz tupi, em alusão aos caranguejos brancos do litoral.[18]