Casa Branca
English: White House

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Casa Branca (desambiguação).
Casa Branca
US-WhiteHouse-Logo.svg
White House north and south sides.jpg

Fachadas norte e sul do edifício.

História
Arquiteto
Complexo
Período de construção
Abertura
Uso
Residência oficialVisualizar e editar dados no Wikidata
Arquitetura
Estilo
Estatuto patrimonial
National Historic Landmark District (d) ()Visualizar e editar dados no Wikidata
Altura
21,3 mVisualizar e editar dados no Wikidata
Pisos
3Visualizar e editar dados no Wikidata
Administração
Proprietário
Website
Localização
Endereço
Coordenadas
Localização no mapa do washington d.c.
ver no mapa do washington d.c.
Red pog.svg
Localização no mapa dos Estados Unidos
ver no mapa dos Estados Unidos
Red pog.svg
White House
Registro Nacional de Lugares Históricos
Marco Histórico Nacional dos EUA
Nomeado NHL:19 de dezembro de 1960 (58 anos)
Registro NRHP:19600001

A Casa Branca (tradução literal do inglês: White House) é a residência oficial e principal local de trabalho do Presidente dos Estados Unidos, sendo, ao mesmo tempo, a sede oficial do poder executivo naquele país. Localiza-se na Avenida Pensilvânia, nº 1600 em Washington D.C., o edifício foi construído no período compreendido entre 1792 e 1800, pintado de arenito esbranquiçado no estilo georgiano e tem sido a residência executiva de todos os presidentes americanos desde o mandato de John Adams. O edifício foi expandido por Thomas Jefferson, que ali se instalou em 1801, com o auxílio do arquitecto Benjamin Henry Latrobe, através da criação de duas colunas, cada uma das quais destinada a dissimular estábulos e armazéns.[1]

Em 1814, durante a Guerra de 1812, o edifício ardeu quando o exército britânico incendiou toda a cidade de Washington D.C., destruindo a parte interna e chamuscando muitas das paredes exteriores. A reconstrução iniciou-se quase imediatamente e o presidente James Monroe mudou-se para a semirreconstruída casa em outubro de 1817. A construção continuou com a adição do Pórtico Sul em 1824 e do Norte em 1829. Devido à aglomeração dentro da própria mansão executiva, o presidente Theodore Roosevelt teve quase todos os escritórios de trabalho relocalizados na recentemente construída Ala Oeste em 1901. Oito anos depois, o presidente William Howard Taft expandiu a Ala Oeste e criou o primeiro Salão Oval, o qual foi sendo posteriormente movido conforme a secção ia sendo expandida. O terceiro andar, que era um sótão, foi convertido em quartos comuns em 1927. A recém construída Ala Leste foi usada como uma área de recepção para eventos sociais; ambas as novas alas foram conectadas às colunas de Jefferson. As alterações na Ala Leste foram concluídas em 1946, criando um espaço para trabalho adicional. Em 1948, as paredes exteriores da casa e as vigas de madeira internas foram a principal razão do próximo fracasso. De acordo com o presidente Harry S. Truman, os quartos interiores foram completamente desmantelados, resultando na construção de um novo e interno vigamento de aço e na remontagem dos quartos interiores.

O termo Casa Branca é usado como uma metonímia para o Gabinete Executivo do Presidente. O código do Serviço Secreto para o local é "crown" ("coroa"). A propriedade pertence ao National Park Service, que administra parques nacionais e monumentos nos Estados Unidos, e faz parte do "President's Park".

História

A fachada Norte da Casa Branca
A fachada Sul da Casa Branca.

A Casa Branca foi construída depois da criação do Distrito de Columbia por um Acto do Congresso em Dezembro de 1790. O presidente George Washington ajudou a escolher o local, junto com o planeador urbano Pierre L'Enfant. O arquitecto foi escolhido numa competição que recebeu nove propostas. A honra foi concedida a James Hoban, um irlandês, e a construção começou com a colocação da pedra angular em 13 de outubro de 1792. A construção foi completada em 1 de novembro de 1800. Foram gastos 232.371,83 dólares ao longo de um período de oito anos de construção. O que na actualidade, com os efeitos da inflação, equivaleria a cerca de 2,4 milhões.

Competição arquitectónica

A nova capital da jovem república ficou situada em terras cedidas por dois estados - Virginia e Maryland - tendo ambos transferido a posse dos terrenos para o governo federal em resposta a um compromisso com o Presidente George Washington. Os comissários do Distrito de Columbia foram encarregados, pelo Congresso, de construir a nova cidade sob a direcção do Presidente. O arquitecto da Casa Branca foi escolhido num concurso que recebeu nove propostas, incluindo uma submetida de forma anónima por Thomas Jefferson.[2] O presidente Washington viajou para o local da nova cidade federal, no dia 16 de julho de 1792, para fazer o seu juramento. A sua análise ficou registada como breve, tendo seleccionado rapidamente a proposta de James Hoban, um irlandês que residia em Charleston, Carolina do Sul. A brevidade da escolha de Washington pode ter-se devido ao fato de a maior parte dos planos serem deselegantes e simplistas.

Washington não ficou totalmente satisfeito com a proposta inicial de Hoban. Achou-a demasiado pequena, desprovida de ornamentos e pouco digna para o presidente da nação. Seguindo as recomendações de Washington o edifício foi ampliado em cerca de trinta por cento, tendo sido acrescentada uma galeria de recepção, a atual Sala Este. Esta foi provavelmente inspirada na grande sala de recepção de Mount Vernon.

Influências no desenho

O edifício desenhado por Hoban foi claramente influenciado pelos primeiro e segundo andares de Leinster House, um palácio ducal de Dublin, República da Irlanda, o qual é, actualmente, o lugar das duas câmaras do Oireachtas, o Parlamento irlandês. Vários outros palácios rurais irlandeses da era Georgiana foram sugeridos como fontes de inspiração para todo o andar térreo, detalhes exteriores, como o peristilo da fachada Sul, e interiores, como os antigos nichos da actual Sala Azul. Estas influências, apesar de não estarem documentadas, são citadas no guia oficial da Casa Branca e nas publicações da Associação Histórica da Casa Branca. O primeiro guia oficial, publicado em 1962, sugeria uma ligação entre o Pórtico Sul, desenhado por Hoban, e o Château de Rastignac, um palácio rural neoclássico, localizado em La Bachellerie, na região francesa de Dordogne, desenhado por Mathurin Salat. O palácio francês foi construído entre 1812 e 1817, baseado num desenho anterior. A ligação foi criticada, uma vez que Hoban nunca visitou a França. Os defensores da ligação argumentam que Thomas Jefferson, enquanto visitava a Ecole Spéciale d'Architecture (Colégio de Arquitectura de Bordéus), em 1789, terá visto os desenhos de Salat[3] e, no seu regresso aos E.U.A., terá partilhado a influência com Washington, Hoban, Monroe, e Benjamin Henry Latrobe.[4] Tanto Hoban como Latrobe fizeram elevações para o Pórtico Sul, sendo o pórtico, construído em 1829, quase idêntico à aguarela da elevação de Hoban.

Andar térreo da Casa Branca.
Andar de Aparato da Casa Branca.
Segundo andar da Casa Branca.

Construção

A construção começou com a colocação da pedra angular no dia 13 de outubro de 1792. Um diário conservado pelo comissário de construções do Distrito de Columbia registra que os apoios da residência principal foram escavadas por escravos. As fundações foram, igualmente, construídas por trabalho escravo. muito do restante trabalho no edifício foi realizado por imigrantes, muitos deles ainda sem a cidadania. As paredes de arenito foram erguidas por imigrantes escoceses, assim como as decorações com grinaldas em alto relevo por cima da entrada Norte e o padrão em "escama de peixe" sob os frontões das remates das janelas. Muitos dos trabalhos em tijolo e reboco foi produzido por imigrantes irlandeses e italianos. A construção inicial estendeu-se por um período superior a oito anos, com um custo de 232.371,83 dólares (2,4 milhões de dólares em 2005). Apesar de ainda não estar completa, a Casa Branca estava pronta para ser ocupada no dia 1 de novembro de 1800.[5] Quando o palácio presidencial ficou concluído, as porosas paredes de arenito foram revestidas com uma mistura de cal, grude, caseína e chumbo, dando ao edifício a sua cor familiar e o seu nome.

Convenções de Nomeação

O edifício foi originalmente referenciado como Palácio do Presidente (President's Palace), Mansão Presidencial (Presidential Mansion) ou Casa do Presidente (President's House).[6] É comum o falso conceito de que o termo "The White House" (A Casa Branca) só passou a ser usado depois da Guerra de 1812, quando o palácio foi queimado e pintado de novo. de qualquer forma, as primeiras evidências de ter sido chamado pela população de "White House" foram registadas em 1811, três anos antes de o edifício ter sido incendiado.[7] O nome Mansão Executiva (Executive Mansion) foi usado em contextos oficiais até que o Presidente Theodore Roosevelt estabeleceu o nome formal, tendo de facto o nome White House–Washington gravado nos artigos de papelaria em 1901.[8] No actual timbre, o estilo de escrita das palavras "The White House", com a palavra "Washington" centrada abaixo, remonta à administração do Presidente Franklin Delano Roosevelt.

Apesar de apenas ter sido construído alguns anos depois da presidência de George Washington, também foi especulado que o nome o nome da residência tradicional do presidente dos Estados Unidos pode ter derivado da propriedade de Martha Custis Washington, a Plantação Casa Branca (White House Plantation), no Condado de New Kent, Virginia, onde o primeiro Presidente da nação e a sua primeira-dama partilharam muitas recordações agradáveis durante o seu namoro, em meados do século XVIII.