Cartaxo
English: Cartaxo

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2013). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para a ave com o mesmo nome, veja cartaxo-comum.
Cartaxo
Brasão de CartaxoBandeira de Cartaxo

Primavera I.jpg
Campo de margaridas na primavera de Cartaxo
Localização de Cartaxo
GentílicoCartaxense ou Cartaxeiro
Área158,17 km²
População24 462 hab. (2011)
Densidade populacional154,7  hab./km²
N.º de freguesias6
Presidente da
câmara municipal
Pedro Magalhães Ribeiro (PS)
Fundação do município
(ou foral)
1815 (D. João VI)
Região (NUTS II)Alentejo
Sub-região (NUTS III)Lezíria do Tejo
DistritoSantarém
ProvínciaRibatejo
OragoSenhor dos Passos
Feriado municipalQuinta-feira de Ascensão
Código postal2070
Sítio oficialwww.cm-cartaxo.pt
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

O Cartaxo é uma cidade portuguesa do distrito de Santarém, no Ribatejo, com cerca de 10 700 habitantes.[1]

Desde 2002 que está integrada na região estatística (NUTS II) do Alentejo e na sub-região estatística (NUTS III) da Lezíria do Tejo; continua, no entanto, a fazer parte da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo, que manteve a designação da antiga NUTS II com o mesmo nome. Pertencia ainda à antiga província do Ribatejo, hoje porém sem qualquer significado político-administrativo, mas constante nos discursos de auto e hetero-identificação. Com 148 hab./km² è a cidade com maior densidade populacional do Alentejo.

É sede de um concelho com 158,17 km² de área[2] e 24 462 habitantes (2011),[3][4] subdividido em 6 freguesias.[5] O concelho é limitado a norte pelo município de Santarém, a leste por Almeirim, a sueste por Salvaterra de Magos e a oeste pela Azambuja.[6] Dista 65 km de Lisboa e 13 km de Santarém.[6]

Etimologia

Conta a lenda que, a Rainha Santa Isabel, em busca de paz de espírito e contacto com o Ser Divino, passou por onde hoje é a cidade, pelas terras do "barrio", onde terá repousado e saciado a sua sede, num local onde encontrou sombra e uma fonte. Estando em repouso, deparou-se com um bonito chilreio que ecoava pelos ares em seu redor, tendo observado melhor terá reparado que para além de cantarem de forma linda, estas criaturas voadoras eram também em si lindos, formosos e galantes. A rainha, tendo avistado uns camponeses que se dirigiam para ali, indagou-lhes que pássaros eram aqueles. Os camponeses responderam-lhe, dizendo que eram cartaxos. A rainha agradeceu-lhes e perguntou-lhes que lugar era aquele, ao que eles responderam que era o Lugar da Fonte. Então, a rainha disse para que todos lhe pudessem ouvir: "Pela Graça de Deus, pelo poder que me foi atribuído, que este Lugar da Fonte se passe a chamar de agora em diante Lugar de Cartaxo, e que seja assim para toda a eternidade, e que todas as gentes saibam, e assim se faça de acordo com as leis dos homens sob a presença de meu marido o muy nobre el-rey Dom Dinis e de acordo com as regras de Deus Nosso Senhor Todo-o-Poderoso, que ordena sobre o Céu e sobre a Terra…". Tendo dito isto, partiu, prosseguindo o seu caminho em direcção ao Lugar de Almoster, demandando na sua peregrinação o mosteiro aí existente, o Mosteiro de Almoster.[7]