Capitania-geral

Capitania-geral é a denominação dada as divisões administrativas dos antigos territórios ultramarinos do Império Espanhol e do Império Português, à frente dos quais estava um capitão-general.

Portugal

No Império Português as capitanias-gerais eram territórios administrados directamente pela Coroa, em contraste com as donatarias, atribuídas, a título hereditário, a ricos senhores comerciantes amigos do rei. A partir do governo do Marquês de Pombal, todas as donatarias, ainda existentes, foram substituídas por capitanias-gerais.

Em Portugal as capitanias-gerais duraram, nos Açores e na Madeira, até 1832, altura em que aqueles arquipélagos foram transformados em províncias, governadas por prefeitos.