Cínrico de Wessex
English: Cynric

Cínrico da Saxônia Ocidental
Rei da Saxônia Ocidental
Reinado534560
Antecessor(a)Cerdico
Sucessor(a)Ceaulino
 
DescendênciaCeaulino
Cuta
Casada Saxônia Ocidental
Morte560
PaiCerdico
Britânia no início do século VI

Cínrico[1] (em latim: Cynricus ou Cinricus; em inglês antigo: Cynric; m. 560) foi rei da Saxônia Ocidental entre 534 até 560. Era talvez filho de Cerdico, aquele que é creditado como o primeiro chefe dos saxões ocidentais que migraram à Britânia no fim do século V. Participou em expedições militares durante seu reinado e ao morrer legou seu trono a seu filho Ceaulino, que continuou sua obra. Ele fez conquistas relevantes em seu tempo, inclusive derrotando os britanos em combate.

Contexto

A história do período sub-romano na Britânia é parcamente referida e está sujeita importantes desacordos entre historiadores. Ao que parece, contudo, os raides do século V na Britânia por povos continentais transformaram-se em migrações. Os recém-chegados eram anglos, saxões, jutos e frísios. Capturaram territórios no leste e sul da Britânia, mas perto do fim do século V, uma vitória britânica na Batalha do Monte Badonico parou o avanço anglo-saxão por 50 anos.[2][3] Perto do ano 550, contudo, os britanos voltaram a perder terreno, e dentro de 25 anos, parece que quase todo o sul da ilha estava sob os invasores.[4]

A paz que se seguiu ao Monte Badonico é atestada parcialmente pelo monge Gildas que escreveu a Sobre a Ruína e Conquista da Britânia (De Excidio et Conquestu Britanniae) durante meados do século VI. Esse ensaio é uma polêmica contra corrupção e Gildas fornece poucos nomes e datas. Ele parece afirmar, contudo, que a paz durou do ano de seu nascimento ao tempo que escrevia.[5] A Crônica Anglo-Saxônica é a outra principal fonte que lida com esse período, em particular numa entrada ao ano 827 que registra uma lista de reis que usaram o título de bretualda (governante da Britânia). Aquela lista mostra uma lacuna no começo do século VI que corresponde à versão dos eventos de Gildas.[6]

Fontes

As duas principais fontes escritas à história inicial dos saxões ocidentais são a Crônica Anglo-Saxônica e a Lista Real Genealógica Saxã Ocidental. A crônica é um conjunto de anais compilados perto do ano 890, durante o reinado de Alfredo, o Grande da Saxônia Ocidental.[7] O material às entradas mais antigas foi reunido de anais mais antigos que não sobreviveram, bem como de materiais de sagas que podem ter sido transmitidas oralmente.[8][9] A crônica data a chegada dos futuros "saxões ocidentais" na Britânia em 495, quando Cerdico e seu filho Cínrico atracaram na costa de Cerdico (Cerdices ora). Quase 20 anais descrevem as campanhas dele e aquelas de seus descendentes aparecem intercaladas nas entradas que registram os séculos subsequentes.[10][11]

Cerdico em gravura de John Speed (1611)

A Lista Real é uma lista de chefes da Saxônia Ocidental, incluindo o comprimento dos reinados. Sobrevive de várias formas, incluindo como prefácio ao manuscrito [B] da crônica.[b] Como a crônica, a lista foi compilada no reinado de Alfredo e ambas são influenciadas pelo desejo de seus escritores usarem uma única linha de descendência para traçar a linhagem dos reis da Saxônia Ocidental de Cerdico para Geuis, o ancestral lendário epônimo dos saxões ocidentais, que é feito descendente de Odim. O resultado serviu aos propósitos políticos do escriba, mas está crivado com contradições por historiadores.[12]

As contradições podem ser vistas claramente ao calcular as datas por diferentes métodos a partir das várias fontes. O primeiro evento na história saxã ocidental, a data que pode ser reconhecida como razoavelmente certa, é o batismo de Cinegilso, que ocorreu no final da década de 630, talvez tão cedo quando 640. A crônica dá a chegada de Cerdico em 495, mas adicionando a duração dos reinados como fornecido pela lista real, o reinado de Cerdico pode ter começado em 532, uma diferença de 37 anos. Nem 495 nem 532 podem ser tratados como confiáveis, com a última data centrada na presunção de que a lista real está correta ao apresentar os reis saxões ocidentais como tendo sucedido uns aos outros, sem reis omitidos, nem reinados conjuntos, e que a duração dos reinados são corretas tal como dado. Nenhuma dessas presunções pode ser feita seguramente.[11]

As fontes também são inconsistentes sobre a duração do reinado de Ceaulino, seu sucessor. A crônica fornece-a como 32 anos, de 560 até 592, mas as listas reais discordam: versões diferentes dão-a como 7 ou 17. Um estudo detalhado recente das listas reais data a chegada dos saxões ocidentais na Britânia em 538, e favorece 7 anos como a duração mais provável do reinado de Ceaulino, com datas propostas de 581-588.[11][13] As fontes concordam que Ceaulino é o filho de Cínrico e geralmente é nomeado como pai de Cutuíno.[14] Há uma discrepância nesse caso: a entrada para 685 na versão [A] da crônica reconhece a Ceaulino um filho, Cuta, mas na entrada de 855 no mesmo manuscrito, Cuta é listado como filho de Cutuíno. Cuta também é nomeado como irmão de Ceaulino nas versões [E] e [F] da crônica, nas entradas 571 e 568 respectivamente.[15][16]