Bolívia
English: Bolivia

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Bolívia (desambiguação).
Estado Plurinacional de Bolivia[1](espanhol)
Buliwya Mama Ilaqta (quíchua)
Wuliwya Suyu (aimará)
Tetã Volívia (guarani)

Estado Plurinacional da Bolívia
Bandeira da Bolívia
Brasão de armas da Bolívia
BandeiraBrasão de armas
Lema: La union es la fuerza!
"A união é a força!"
Hino nacional: Bolivianos, el hado propicio
"Bolivianos, o futuro propício"
Gentílico: boliviano(a)

Localização do Bolívia

CapitalSucre (constitucional)
La Paz (sede do governo)
Cidade mais populosaSanta Cruz de la Sierra
Língua oficial
GovernoRepública presidencialista Unitária
 - PresidenteEvo Morales
 - Vice-presidenteÁlvaro García Linera
Independênciada Espanha 
 - Declarada6 de agosto de 1825 
Área 
 - Total1.098.581 km² (28.º)
 - Água (%)1,29
 FronteiraArgentina, Chile e Paraguai (S)
Brasil (E)
Peru (W)
População 
 - Estimativa para 201610 969 049 [4] hab. (84.º)
 - Densidade9,13 hab./km² (210.º)
PIB (base PPC)Estimativa de 2014
 - TotalUS$ 69,979 bilhões*[5] 
 - Per capitaUS$ 6 222[5] 
PIB (nominal)Estimativa de 2014
 - TotalUS$ 34,083 bilhões*[5] 
 - Per capitaUS$ 3 030[5] 
IDH (2017)0,693 (118.º) – médio[6]
Gini (2010)53[7]
MoedaBoliviano (BOB)
Fuso horárioUTC −4
Hora atual: 20:16
 - Verão (DST)UTC −4
Org. internacionaisONU (OMC), Mercosul, OEA, ALADI, OTCA, UNASUL, CI-A, UL
Cód. ISOBOL
Cód. Internet.bo
Cód. telef.+591
Website governamentalwww.bolivia.gob.bo

Mapa do Bolívia

Bolívia (pronúncia em português europeu[buˈlivjɐ]; pronúncia em português brasileiro[boˈliviɐ]; em castelhano: Bolivia, pronunciado: [boˈliβja]; em quíchua: Buliwya; em aimará: Wuliwya; em guarani: Volívia), oficialmente Estado Plurinacional da Bolívia[8][9] (em castelhano: Estado Plurinacional de Bolivia; em quíchua: Buliwya Mamallaqta; em aimará: Wuliwya Suyu; em guarani: Tetã Volívia), é um país encravado no centro-oeste da América do Sul. Faz fronteira com o Brasil ao norte e leste, Paraguai e Argentina ao sul, e Chile e Peru ao oeste.

Antes da colonização europeia, a região andina boliviana fazia parte do império Inca — o maior império da era pré-colombiana. O império Espanhol invadiu e conquistou essa região no século XVI. Durante a maior parte do período colonial espanhol, este território era chamado Alto Peru ou Charcas e encontrava-se sob a administração do Vice-Reino do Peru, que abrangia a maioria das colônias espanholas sul-americanas. Após declarar independência em 1809, dezesseis anos de guerras se seguiram antes do estabelecimento da república, instituída por Simón Bolívar, em 6 de agosto de 1825. Desde então, o país tem passado por períodos de instabilidade política, ditaduras e problemas econômicos.

A Bolívia é uma república democrática, dividida em nove departamentos. Geograficamente, possui duas regiões distintas, o altiplano a oeste e as planícies do leste, cuja parte norte pertence à bacia Amazônica e a parte sul à Bacia do Rio da Prata, da qual faz parte o Chaco boliviano. É um país em desenvolvimento, com um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) médio e uma taxa de pobreza que atinge cerca de 60% da população. Dentre suas principais atividades econômicas, destacam-se a agricultura, silvicultura, pesca, mineração, e bens de produção como tecidos, vestimentas, metais refinados e petróleo refinado. A Bolívia é muito rica em minerais, especialmente em estanho.

A população boliviana, estimada em 10 milhões de habitantes, é multiétnica, possuindo ameríndios, mestiços, europeus, asiáticos e africanos. A principal língua falada é o espanhol, embora o aimará e o quíchua também sejam comuns. Além delas, outras 34 línguas indígenas são oficiais. O grande número de diferentes culturas na Bolívia contribuiu para uma grande diversidade em áreas como a arte, culinária, literatura e música.

Etimologia

O estado boliviano foi fundado sob o nome de República Bolívar em homenagem a seu libertador, Simón Bolívar. Posteriormente, foi modificada a proposta do deputado de Potosí, presbítero Manuel Martín Cruz, que argumentou com a seguinte frase: "Se de Rômulo, Roma; de Bolívar, Bolívia".[10] A nova república adotou oficialmente o nome de Bolívia em 3 de outubro de 1825.[10] Do mesmo modo, a Assembleia Deliberante nomeou o libertador Bolívar como primeiro presidente da república, o qual a chamou de filha predileta. Após a designação do país com seu nome, Bolívar fez a seguinte declaração:

Meu desespero aumenta ao contemplar a imensidão de vosso prêmio, porque depois de haver esgotado os talentos, as virtudes, o gênio mesmo do maior dos heróis, todavia seria eu indigno de merecer o nome que haveis querido dar, o meu! Falarei eu de gratidão, quando ela jamais conseguirá expressar nem suavemente o que experimento por vossa bondade que, como a de Deus, passa todos os limites! Sim: somente Deus tinha o poder para chamar essa terra Bolívia… Que quer dizer Bolívia? Um amor desenfreado de liberdade, que ao receber vosso arroubo, não vejo nada que fosse igual a seu valor. Sem encontrar em vossa embriaguez uma demonstração adequada à veemência de seus sentimentos, arrancou vosso nome, e deu o meu a todas vossas gerações. Este, que é sem precedentes na história dos séculos, o é ainda mais na dos desprendimentos sublimes. Tal característica mostrará aos tempos que estão no pensamento do Eterno, o que anseia a posse de vossos direitos, que é a posse de exercer as virtudes políticas, de adquirir os talentos luminosos, e o gozo de serem homens. Este traço, repito, provará que vós éreis dignos a obter a grande benção do Céu — a Soberania do Povo — única autoridade legítima das Nações.[10]