Bela IV da Hungria

Bela IV da Hungria
Nascimento29 de novembro de 1206
Transilvânia
Morte3 de maio de 1270 (63 anos)
Buda
SepultamentoSzékesfehérvár
CidadaniaHungria, Reino da Hungria
ProgenitoresMãe:Gertrude da Merânia
Pai:André II da Hungria
CônjugeMaria Laskarina
Filho(s)Cunegunda da Polônia, Ana da Hungria, Iolanda da Polônia, Isabel da Hungria, Duquesa da Baviera, Estêvão V da Hungria, Margarida da Hungria, Constança da Hungria, Bela da Hungria
Irmão(s)Iolanda da Hungria, Ana Maria da Hungria, Santa Isabel da Hungria, Estêvão, o Póstumo, Coloman de Galícia-Lodomeria, André da Hungria
Ocupaçãopolítico
Coa Hungary Country History Béla IV (1235-1270).svg

Bela IV (Transilvânia, 29 de novembro de 1206Buda, 3 de maio de 1270) foi rei da Hungria entre 1235 e 1270.

Biografia

Em 1238, a Hungria foi invadida por tribos cumanas que fugiam do avanço das hordas mongóis. De maneira a forjar uma aliança com os cumanos, concedeu-lhes asilo e prometeu seu filho e herdeiro Estêvão em casamento à filha de um cã cumano chamado Cuteno. Os cumanos converteram-se ao cristianismo e foram batizados. Lutaram ao lado dos húngaros contra os mongóis.

Bela procurou recuperar terras da coroa anteriormente perdidas, de modo a fortalecer o poder real. Suas ações o tornaram impopular com a nobreza húngara justamente no momento em que os mongóis avançavam em direção à Europa. Ciente do perigo, Bela ordenou que a nobreza se mobilizasse. Poucos o fizeram e os mongóis destruíram o exército húngaro em Mohi, em 11 de Abril de 1241. Seu aliado Cuteno foi executado em Budapeste por aristocratas húngaros pouco antes da invasão.

Bela fugiu, de início, para a Áustria, sendo mantido como refém pelo Duque Frederico de Babemberga. Em seguida, refugiou-se em Trogir, na Dalmácia. Os mongóis reduziram as cidades e vilas da Hungria a cinzas e mataram metade da população, retirando-se apenas quando lhes chegou a notícia da morte de Ogadai Cã, em Caracórum.

Bela passou então a dirigir a reconstrução do país e ordenou que um sistema de castelos (végvár) fosse erigido como defesa contra um possível retorno dos mongóis.