Batalha de Abrito

Batalha de Abrito
Guerra Gótica (249–253)
Abritus Razgrad Kaladan 1.jpg
Ruínas de Abrito, o sítio da batalha
DataJulho ou agosto de 251
LocalAbrito, Mésia Inferior
DesfechoVitória bárbara
Beligerantes
Império Romano Império RomanoGodos
Taifalos
Peucinos
Asdingos
Carpos
Dissidentes romanos
Comandantes
Império Romano Décio
Império Romano Herênio Etrusco
Cniva
Baixas
PesadasDesconhecidas
Diagramação da invasão de 250-251

A Batalha de Abrito, também conhecida como Batalha do Fórum Terebrônio, ocorreu na província da Mésia Inferior, perto da cidade de Abrito (próximo à moderna Razgrado, Bulgária), provavelmente em julho ou agosto de 251, entre as legiões romanas de Décio (r. 249–251) e a coalizão de guerreiros bárbaros e desertores romanos liderada pelo rei gótico Cniva.

O Império Romano estava sofrendo com as incursões de bárbaros do além-Danúbio desde 249, o mesmo ano da ascensão de Décio, e as principais consequências dos ataques foram a captura de Marcianópolis e o saque de Filipópolis. No rescaldo de Filipópolis, Décio decidiu agir contra os invasores e marchou com grande contingente contra Cniva. Segundo estimativas, as forças beligerantes eram numericamente similares, mas durante o combate as tropas romanas foram emboscadas no pântano circundante e massacradas pelos bárbaros, acarretando na morte de Décio e seu filho e coimperador Herênio Etrusco.

Antecedentes

Logo após a ascensão de Décio em 249, tribos bárbaras que habitavam além-Danúbio invadiram as províncias da Dácia, Mésia Superior e Mésia Inferior em resposta ao fim do pagamento de tributos.[1] Em 250, os carpos invadem a Dácia, o leste da Mésia Superior e oeste da Mésia Inferior.[2] Ao mesmo tempo, uma coalizão de bandos tribais (taifalos, peucinos, asdingos e carpos) e desertores romanos liderada pelo rei gótico Cniva cruzou a fronteira romana e avançou em duas colunas.[3]

A primeira coluna do exército invasor sitiou Marcianópolis (atual Devnja, Bulgária) sem sucesso,[4][5] e então partiu para sul para sitiar Filipópolis (atual Plovdiv, Bulgária). Cniva, por sua vez, cruzou o Danúbio rumo a Esco e então Nova (atual Svishtov), onde foi repelido pelo governador Treboniano Galo.[6] Dali marchou contra Nicópolis, que pretendia saquear, e foi derrotado por Décio.[7]

Após alguns revezes, Cniva moveu-se para sul através do monte Hemo e Décio o perseguiu para salvar Filipópolis. Quando o exército romano estava estacionado em Beroia (atual Stara Zagora), foi surpreendido pelas tropas bárbaras, e Décio fugiu para Esco, enquanto Cniva pode saquear a Mésia e capturar Filipópolis.[8]