Bahrein
English: Bahrain

Question book-4.svg
Este artigo cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser acadêmico)
مَمْلَكَةُ البَحْرَين
(Mamlakat al-Baḥrayn)

Reino do Bahrein
Bandeira do Bahrein
Brasão de armas do Bahrein
BandeiraBrasão de armas
Hino nacional: Bahrainona
Gentílico: bareinita,[1][2] baremita,[3] baremense,[4] baremês[5]

Localização do Barém

Localização do Bahrein (a verde) na Ásia (a cinzento)
CapitalManama
Cidade mais populosaManama
Língua oficialárabe
Religião oficialislão
Governomonarquia constitucional
 - ReiHamad bin Isa al-Khalifa
 - Príncipe herdeiroSalman bin Hamad bin Isa Al Khalifa
 - Primeiro-ministroKhalifa bin Salman al-Khalifa
Independênciado Reino Unido 
 - Data (declarada)14 de agosto de 1971 
Área 
 - Total750 km² (184.º)
População 
 - Estimativa para 20171 442 659[6] hab. (n/a.º)
 - Densidade1 189,5 hab./km² (7.º)
PIB (base PPC)Estimativa de 2014
 - TotalUS$ 61,555 bilhões *[7] 
 - Per capitaUS$ 51 393[7] 
PIB (nominal)Estimativa de 2014
 - TotalUS$ 34,045 bilhões *[7] 
 - Per capitaUS$ 28 424[7] 
IDH (2017)0,846 (43.º) – muito alto[8]
MoedaDinar bareinita (BHR)
Fuso horário(UTC+3)
Org. internacionaisLiga Árabe, ONU, Conselho de Cooperação do Golfo
Cód. ISOBHR
Cód. Internet.bh
Cód. telef.+973
Website governamentalwww.bahrain.bh

Mapa do Barém

Bahrein,[9] Barém,[10][11][12][9][13][14][15][16][17] Barein[2][9][11][16] ou Bareine[18] (em árabe: ‏البحرين Loudspeaker.svg? al-Baḥrayn) é um pequeno país insular do Golfo Pérsico, com fronteiras marítimas com o Irão a nordeste, com o Catar a leste e com a Arábia Saudita a sudoeste. A sua capital é Manama. Os desertos, com sua esterilidade, cobrem mais de trinta ilhas componentes desse país árabe. É, com 780km², a terceira menor nação na Ásia, após as Ilhas Maldivas e Singapura.[19][20]

Na região do Golfo Pérsico, onde se situa o país, há muito se praticam atividades econômicas muito importantes, como o comércio e as comunicações. Mas, a continuidade do subdesenvolvimento do país perdurou até ser descoberto o petróleo, em 1932, na ilha mais importante, que em árabe também se chama "Bahrayn". Hoje em dia, o país tem um dos melhores índices de Desenvolvimento Humano da região do Golfo, e um dos piores no capítulo das liberdades e direitos humanos.[21]

O Barém foi um protetorado do Reino Unido entre 1861 e 1971, quando adquiriu sua independência. Formalmente como um Emirado, foi declarado Reino em 2002. Em 2011, houve uma série de protestos no país, inspirados na Primavera Árabe, esmagados com ajuda militar da Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos.[22][23]

Manama é a sede do governo, a cidade mais populosa e o principal centro comercial do país.

Etimologia

O nome do país vem do árabe Bahrayn, que é a forma dual da palavra bahr ("mar") e significa, portanto, "dois mares". A que "dois mares" o nome do país se refere exatamente é tema que até a presente data gera debate: podem referir-se às baías a leste e a oeste da ilha,[24] aos mares a norte e a sul da mesma (o que a separa do Irão e da Arábia, respetivamente),[25] ou à água salgada e doce presente por cima e por baixo do solo. Outros sugerem que o primeiro mar é o que está em volta do país e o segundo "mar" representa metaforicamente a abundância natural de águas termais no interior da própria ilha.[carece de fontes?]

Até finais da Idade Média, o arquipélago era conhecido entre os árabes pelo nome de Awal, ao passo que o termo al-Bahrayn referia-se à região leste da Arábia, que se estendia desde Baçorá, no Iraque, até ao estreito de Ormuz, em Omã, e incluía o Kuwait e as províncias de al-Hasa e al-Katif. É neste sentido que o termo é usado no Corão, onde aparece cinco vezes.[26] Não se sabe exatamente a partir de que momento o termo passou a designar apenas o arquipélago, mas já em 1556 o poeta português Luís de Camões refere a "ilha Barém" em Os Lusíadas.[27]

De resto, na língua portuguesa, a grafia mais tradicional para o nome do país é Barém,[9][12][13][14][15][16][17] encontrada já duas vezes em Os Lusíadas.[27] No Brasil, acabou por tornar-se recentemente[28] muito difundida a forma Barein,[2][9][11][16] homófona à forma tradicional, porém calcada nas transliterações francesa - Bahrain ou Bahrayn - ou inglesa - Bahreyn ou Bahrein - do topônimo. No entanto, essa grafia foge à regra ortográfica da língua portuguesa para as palavras terminadas no som de "-ei" nasalizado no final: "bem", "hem!", "porém", "também", "trem".[29]