Atentados de 7 de julho de 2005 em Londres

Atentado em Londres de 7 de julho de 2005
Veículos de emergência na Russell Square na sequência dos atentados.
LocalLondres, Inglaterra
 Reino Unido
Data7 de julho de 2005
8:46 am – 10:28 am
Mortes56 (incluindo os 4 autores)
Feridos≈700

Os atentados de 7 de julho de 2005 em Londres, também conhecidos como atentados ao metrô de Londres, referem-se a uma série de explosões que atingiram o sistema de transporte público da capital britânica, na manhã de quinta-feira, 7 de julho de 2005, em plena hora do rush.

No centro de Londres, houve quatro explosões em menos de uma hora, atingindo três trens do metrô (London Underground) e um ônibus (autocarroPE) de dois andares da London Buses. Os primeiros relatos informaram a ocorrência de 37 mortes. Já em 8 de julho, a estimativa era de pelo menos, 50 mortos. Ao final das operações de emergência, 52 mortes e cerca de 700 pessoas feridas foram confirmadas.

Os incidentes levaram ao completo fechamento da rede do London Underground e à interdição de muitas ruas próximas às estações afetadas. Os serviços de trem para as estações londrinas foram cancelados durante a maior parte do dia e a rede de ônibus da cidade foi paralisada, na zona central.

O Comissário da Polícia Metropolitana de Londres, Sir Ian Blair, disse que as explosões provavelmente estariam ligadas a um "grande ataque terrorista", mas não especulou sobre qual teria sido o grupo responsável pelos ataques. Os atentados aconteceram enquanto o Reino Unido era o anfitrião do 31º encontro do G8, no Gleneagles Hotel, em Perthshire, e um dia após Londres ter sido escolhida como a sede dos Olimpíadas de 2012. Foi o pior ato de terrorismo no Reino Unido desde o Atentado de Lockerbie, em 1988, quando 270 pessoas morreram.

Locais atacados

Mapa com a rede de metrô, mostrando os locais atacados

Às 8:50h do dia 7 de julho de 2005, três bombas explodiram no sistema de metrô de Londres, o London Underground, com um intervalo de até 50 segundos. Menos de uma hora depois, outra bomba explodiu em um ônibus da London Buses. Os veículos afetados foram:

  • o trem 204, que passava pela Circle Line, viajando entre Liverpool Street e Aldgate, tendo deixado a estação St. Pancras de King's Cross apenas oito minutos antes;
  • o trem 216, indo na direção oeste, também na Circle Line, tendo recém deixado a plataforma 4 da estação Edgware Road, indo para Paddington. Um trem próximo, vindo na direção contrária, também foi danificado[1] e uma parede também caiu;
  • o trem 311, viajando entre St. Pancras de King's Cross e Russell Square. A bomba explodiu cerca de um minuto após o trem deixar a estação, quando já tinha percorrido cerca de 450 m.
  • o ônibus LX03BUF da London Buses que passava por Tavistock Square, indo de Marble Arch a Hackney Wick.

Inicialmente, pensava-se que eram seis explosões no metrô, e não três. Isso se deve ao fato de que os feridos eram encaminhados para ambas as direções do trilho, chegando em duas estações, e as explosões eram ouvidas nos dois lados também. Mais tarde, no entanto, os relatos foram corrigidos.

Quase uma hora depois, às 9:47h, explodiu a última bomba, em um ônibus de dois andares da London Buses que passava por Tavistock Square, indo de Marble Arch a Hackney Wick, cujo registro era LX03BUF.