Associação Atlética Portuguesa

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Associação Atlética Portuguesa (desambiguação).
Portuguesa Santista
AA Portuguesa Santista.png
NomeAssociação Atlética Portuguesa
AlcunhasBriosa
Rubro-verde
Torcedor/AdeptoLusitano
Rubro-verde
MascoteCachopinha (Menina Portuguesa)
Principal rivalSantos
Jabaquara
Fundação20 de novembro de 1917 (101 anos)
EstádioUlrico Mursa
Capacidade7.635 torcedores
PresidenteEmerson Alexandre Coelho Albano
TreinadorSérgio Guedes
PatrocinadorGrupo Mendes
Nita Alimentos
Zero13
VPS Import
Material (d)esportivoUmbro
Websiteportuguesasantista.com.br
Cores do TimeCores do TimeCores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do TimeCores do TimeCores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do TimeCores do TimeCores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

A Associação Atlética Portuguesa, mais conhecida como Portuguesa Santista para evitar confusão com a equipe homônima da capital do Estado, é um clube brasileiro de futebol da cidade de Santos, litoral do estado de São Paulo.

Fundada em 20 de novembro de 1917, a Portuguesa Santista recebe de sua torcida os nomes carinhosos de Briosa ou Rubro-verde. Seu estádio chama-se Ulrico Mursa, com capacidade para pouco mais de cinco mil pessoas.

Irá disputar a Série A2 do Paulista em 2019 pelo vice-campeonato da Série A3 de 2018, sendo este o segundo acesso estadual em três anos, pois obteve acesso à Série A3 de 2017 com o título do Paulista da série B de 2016.

Também foi o time que revelou Neymar.

História

Em novembro de 1914, "canteiros" que trabalhavam numa pedreira do bairro do Jabaquara observaram surpresos uma partida de futebol do Hespanha Futebol Clube (atual Jabaquara Atlético Clube). Encantados, os canteiros, todos portugueses, começaram a pensar na ideia de fundar uma equipe da colônia, assim como já haviam feito os espanhóis, italianos, ingleses e sírios da cidade.

Em 19 de novembro de 1917 os entusiastas se reuniram num salão de barbeiro, na Rua Joaquim Távora, para a fundação do clube. Vários nomes foram sugeridos, como Lusitano, F. C. Portugal etc. Até que foi proposto o nome Associação Atlética Portuguesa. No dia seguinte, numa nova reunião, o nome e os estatutos do clube eram ratificados e nascia assim, a "Briosa".

A Portuguesa é a detentora da "Fita Azul" desde 1959 - título criado para homenagear as equipes que faziam excursões ao exterior com sucesso. Essa honra pertence ao CR Vasco da Gama, a Portuguesa de Desportos e Santos FC, entre outros clubes.

O seu Estádio, Ulrico Mursa, foi o primeiro da América Latina a ter cobertura de concreto. A Portuguesa Santista foi a primeira equipe da cidade de Santos a revelar um jogador que serviu à Seleção Brasileira de Futebol, para a Copa do Mundo de 1938, na França. O atleta foi Tim (Elba de Pádua Lima), atacante da Briosa, desde 1936 jogador do Fluminense que na Copa participou de uma partida, em 14 de junho de 1938, pelas quartas-de-final, contra a Tchecoslováquia, na cidade de Bordeaux, no Estádio Parc Lescure, (atual Stade Jacques Chaban-Delmas), em que o Brasil ganhou por 2 a 1, com gols de Leônidas e Roberto, pelo Brasil e Kopecky, pela Tchecoslováquia. Um fato curioso é que a Briosa foi vítima de racismo em 1959. Quando ganhou o título de fita azul, os jogadores foram proibidos de entrar em campo, na cidade do cabo por ter três jogadores de cor negra. A África do Sul, por conseguinte, foi banida de jogos e competições internacionais até o ano de 1976.

A Portuguesa Santista é uma das equipes que fundou a Federação Paulista de Futebol, em 1941, junto com Juventus,

Palestra Itália (atual Palmeiras), Corinthians, São Paulo F.C., Santos F.C., Portuguesa de Desportos, Espanha (atual Jabaquara A.C.), Ypiranga e SPR (atual Nacional A.C.).

O jogo mais celebrado da Portuguesa Santista é contra o Santos F.C., que foi batizado de "clássico das praias", entre as décadas de 1950 e 1960. Há também grande agitação em sua torcida quando há jogos contra a Portuguesa de Desportos e Jabaquara.

Em dois períodos, de 1930 a 1934 e de 1988 a 1990, a Portuguesa Santista não disputou o Campeonato Paulista, o primeiro, por não concordar inicialmente com o profissionalismo no futebol, e na segunda vez, por uma enorme crise financeira que se abateu sobre o clube, pedindo licença à Federação.

A melhor posição que a Portuguesa Santista conseguiu foi no Campeonato Paulista foi a terceira colocação, nos Campeonatos de 1936, 1937, 1938 e 2003. Neste ano de 2003 a Briosa, comandada por Pepe, surpreendeu ao, na primeira fase, empatar com o São Paulo no Morumbi e derrotar o Santos, deixando-o de fora da segunda fase.

No ano seguinte, credenciado pela colocação no Campeonato Paulista, faz sua primeira, e única, participação na Copa do Brasil. Foi eliminado na primeira fase pelo XV de Novembro de Campo Bom/RS, do então desconhecido técnico Mano Menezes, após dois empates (perdendo no critério dos gols fora de casa), podendo ser considerado um dos poucos clubes invictos da história da competição.

Em meados dos anos 2000 a equipe contou com o goleiro Ronaldo, que fez história no Corinthians na década de 1990, e que encerrou sua carreira no clube. Ele é hoje comentarista de TV.

Em 2016, depois de 5 anos, a equipe conquistou o acesso à série A3 do Campeonato Paulista, ao eliminar o Taboão da Serra, com uma vitória por 1 a 0, em Taboão da Serra, gol de Aldir, e um empate por 1 a 1, em Ulrico Mursa, com gol de Lucas Lino.[1] Duas semanas depois, a Briosa conquistou o título ao vencer o Desportivo Brasil por 3 a 0 em Ulrico Mursa, após empate por 1 a 1 em Porto Feliz, os gols foram marcados por Willian, Ricardinho e Erick. Com 19 gols, Willian ainda sagrou-se como artilheiro da competição.[2].[3]