Argentina

Disambig grey.svg Nota: Se procura pelo peixe, veja Argentina sphyraena.
Argentina
República Argentina
Bandeira da Argentina
Brasão da Argentina
BandeiraBrasão
Lema: En Unión y Libertad
"Em União e Liberdade"
Hino nacional: Himno Nacional Argentino
"Hino Nacional Argentino"
Gentílico: Argentino

Localização da Argentina

Localização da Argentina em verde escuro; Ilhas Malvinas, Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul (administradas pelo Reino Unido) e a área reivindicada pelo país na Antártida em verde claro.
CapitalBuenos Aires
34°36'S 58°22'O
Cidade mais populosaBuenos Aires
Língua oficialEspanhol
GovernoRepública Presidencialista
 - PresidenteMauricio Macri
 - Vice-presidente e Presidente do Senado[1]Gabriela Michetti
 - Presidente do Supremo Tribunal de JustiçaRicardo Lorenzetti[2]
Independênciada Espanha 
 - Luta25 de maio de 1810 
 - Proclamada9 de julho de 1816 
 - Reconhecida21 de setembro de 1863 
Área 
 - Total2 780 400[3] km² (8.º)
 - Água (%)1,1
População 
 - Estimativa para 201643 590 368 hab[4] hab. 
 - Densidade15,68 hab./km² (175.º)
PIB (base PPC)Estimativa de 2014
 - TotalUS$ 927,382 bilhões*[5] (22.º)
 - Per capitaUS$ 22 101[5] (51.º)
PIB (nominal)Estimativa de 2014
 - TotalUS$ 536,155 bilhões*[5] (27.º)
 - Per capitaUS$ 12 777[5] (62.º)
IDH (2017)0,825 (47.º) – muito elevado[6]
Gini (2009)45,8[7]
MoedaPeso argentino (ARS)
Fuso horário(UTC-3)
 - Verão (DST) (UTC-2)
ClimaTemperado
Org. internacionaisONU, OMC, UNASUL, Mercosul, OEA, ALADI, G20
Cód. ISOARG
Cód. Internet.ar
Cód. telef.+54
Website governamentalwww.argentina.gov.ar

Mapa da Argentina

Argentina, oficialmente República Argentina (pronunciado em espanholreˈpuβlika aɾxenˈtina), é o segundo maior país da América do Sul em território e o terceiro em população, constituída como uma federação de 23 províncias e uma cidade autônoma, Buenos Aires, capital do país. É o oitavo maior país do mundo em área territorial e o maior entre as nações de língua espanhola, embora México, Colômbia e Espanha, que possuem menor território, sejam mais populosos.

A área continental da Argentina está entre a cordilheira dos Andes a oeste e o oceano Atlântico, a leste. Faz fronteira com o Paraguai e Bolívia ao norte, com o Brasil e Uruguai a nordeste e com o Chile a oeste e sul.[8] A Argentina reivindica uma parte da Antártida, sobrepondo as reivindicações do Chile e do Reino Unido no continente antártico, mesmo após todas as reivindicações terem sido suspensas pelo Tratado da Antártida de 1961. O país reivindica ainda as Ilhas Malvinas (em espanhol: Islas Malvinas) e Geórgia do Sul e Sandwich do Sul, que são administradas pelo Reino Unido como territórios britânicos ultramarinos.

O mais antigo registro de presença humana na área atualmente conhecida como Argentina é datado do período paleolítico.[9] A colonização espanhola iniciou-se em 1512.[10] A Argentina emergiu como o Estado sucessor do Vice-Reino do Rio da Prata,[11][12][13] uma colônia espanhola fundada em 1776. A declaração e a luta pela independência (1810–1818) foi seguida por uma longa guerra civil, que durou até 1861 e terminou com a reorganização do país como uma federação de províncias, com a cidade de Buenos Aires como capital. Durante a segunda metade do século XX, a Argentina enfrentou vários golpes militares e períodos de instabilidade política, juntamente com crises econômicas periódicas que contiveram seu pleno desenvolvimento econômico e social.

Uma potência média reconhecida,[14] a Argentina é uma das maiores economias da América do Sul,[15] com uma classificação muito alta no Índice de Desenvolvimento Humano.[16] Na América Latina, a Argentina possui o quinto maior PIB per capita (nominal) e o maior PIB per capita em paridade do poder de compra.[17] Analistas[18] argumentam que o país tem uma base "para o crescimento futuro, devido ao tamanho do seu mercado, níveis de investimento direto estrangeiro e o percentual de exportações de alta tecnologia como parte do total bens manufaturados" e é classificado pelos investidores como uma economia emergente. A Argentina é um membro fundador da Organização das Nações Unidas, do Mercosul, da União de Nações Sul-Americanas e da Organização Mundial do Comércio e continua sendo um dos G20.

Etimologia

O primeiro gentílico aplicado pelos europeus ao povo habitante da atual Argentina foi o termo castelhano "rioplatense". O nome foi dado por um equívoco feito por Sebastião Caboto em 1526, quando passou pelo estuário do Rio Uruguai e o chamou de Rio de La Plata ("Rio da Prata"), enganado pelo metal precioso que encontrou nas mãos de alguns indígenas, sem saber que eles o haviam tomado dos marinheiros da expedição portuguesa dirigida por Aleixo Garcia. Embora o equívoco tenha se esclarecido pouco depois, o nome manteve-se e logo o gentílico "rioplatense" aplicou-se em espanhol para designar os habitantes de ambas as margens do Rio da Prata, o qual os índios chamavam de Paraná-Guazú (termo que, traduzido da língua guarani, significa "mar gigante").[19]

A prata, em latim, recebe o nome de argentum, nome substantivo ao qual corresponde o adjetivo argentinus. O nome "Argentina" foi usado pela primeira vez pelo poeta Miguel Del Barco Centenera (1535-1605) em seu poema histórico Argentina y la Conquista del Río de la Plata ("Argentina e a Conquista do Rio da Prata"), publicado em 1602, 66 anos depois da fundação do Puerto de Nuestra Señora Santa Maria del Buen Aire ("Porto de Nossa Senhora Santa Maria do Bom Ar"), a atual cidade de Buenos Aires. O substantivo "Argentina" foi utilizado amplamente a partir do século XVIII para designar toda a região do Rio da Prata, abarcando os atuais territórios do Uruguai, Paraguai e parte do estado brasileiro do Rio Grande do Sul.[19]