Antoine Henri Becquerel

Antoine Henri Becquerel Medalha Nobel
Conhecido(a) porRadioatividade
Nascimento15 de dezembro de 1852
Paris
Morte25 de agosto de 1908 (55 anos)
Le Croisic
NacionalidadeFrancês
Alma materÉcole Polytechnique, École Nationale des Ponts et Chaussées
PrêmiosPrix La Caze (1883), Medalha Rumford (1900), Nobel prize medal.svg Nobel de Física (1903), Medalha Helmholtz (1906)
Assinatura
Henri Becquerel signature.svg
Orientador(es)Marie Curie
InstituiçõesConservatoire des Arts et Metiers, École Polytechnique, Muséum National d'Histoire Naturelle
Campo(s)Física, química

Antoine Henri Becquerel (Paris, 15 de dezembro de 1852Le Croisic, 25 de agosto de 1908) foi um físico francês. Becquerel foi o responsável pelos estudos que levaram à descoberta do fenômeno da radioatividade.[1]

Filho de Alexandre-Edmond Becquerel.

Biografia

Estudou na École Polytechnique e era "engenheiro de pontes e calçadas". Ensinou física na École Polytechnique e no Museu Nacional de História Natural. Continuou os trabalhos dos seus pai e avô, descobrindo em 1896 a radioactividade dos sais de urânio. Esta descoberta fundamental valeu-lhe a atribuição do Nobel de Física em 1903, juntamente com o casal Pierre Curie e Marie Curie. Foi membro da Academia das Ciências Francesa.

Seu pai, Alexandre Becquerel estudou a luz e a fosforescência, inventando a fosforoscopia.

Seu avô, Antoine César Becquerel, foi um dos fundadores da eletroquímica.

Em 1895 descobriu acidentalmente uma nova propriedade da matéria que, posteriormente, denominou de radioatividade. Ao colocar sais de urânio sobre uma placa fotográfica em local escuro, verificou que a placa enegrecia. Os sais de urânio emitiam uma radiação capaz de atravessar papéis negros e outras substâncias opacas a luz. Estes raios foram denominados, a princípio, de Raios B em sua homenagem.

Além disso realizou pesquisas sobre fosforescência, espectroscopia e absorção da luz.

Entre suas obras destacam-se:

  • Investigação sobre a fosforescência ( 1882-1897 )
  • Descobrimento da radiação invisível emitida pelo urânio ( 1896-1897 ).