Angiosperma

Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade. Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser acadêmico)
Como ler uma infocaixa de taxonomiaAngiospermas
Ocorrência: Cretáceo Inferior - Recente
Classificação científica
Domínio:Eukaryota
Reino:Plantae
Superdivisão:Spermatophyta
Divisão:Magnoliophyta ou Angiospermae
Classes

Sensu APG II (2003),[1] Chloranthaceae incluídas em Magnoliidae sensu APW (2008)[2]:



Em sistemas de classificação mais antigos como o de Cronquist (1981,[3] 1988[4]) ou de Engler,[5] etc:

As Angiospermas ou angiospérmicas (do grego: angeos (ἄγγος) - "bolsa" e sperma (σπέρμα) - "semente") são plantas espermatófitas cujas sementes são protegidas por uma estrutura denominada fruto. Também conhecidas por magnoliófitas ou antófitas, são o maior e mais moderno grupo de plantas, englobando cerca de 230 mil espécies. Elas possuem raiz, caule, folha, flores, semente e fruto.

Características

Reprodução

As flores são os órgãos das angiospermas, e esse é o aspecto mais marcante para as distinguir de outras plantas que produzem sementes. Suas principais utilidades são: a proteção das estruturas reprodutivas e a atração de agentes polinizadores (por esse fato, existe vários tipos de flores com cor e forma diferentes, para atrair uma maior variedade de agentes polinizadores).

  • Partes masculinas reduzidas, três células

O gametófito masculino das angiospermas é significantemente reduzido em tamanho, comparado as gimnospermas. O grão de pólen menor diminui o tempo de polinização até alcançar a planta fêmea para a fertilização. Nas gimnospermas, a fertilização pode ocorrer em até um ano após a polinização, enquanto nas angiospermas, a fertilização começa logo após a polinização. O tempo curto leva às plantas angiospermas produzirem sementes mais rápido e mais cedo do que as gimnospermas, o que pode considerar-se uma vantagem evolucionária.

  • Carpelo fechado anexado aos óvulos:

Os carpelos fechados em angiospermas também permitem adaptações a polinizações especializadas. Isso ajuda a prevenir a autofertilização, promovendo a diversidade. Assim que o ovário é fertilizado, o carpelo e alguns outros tecidos se desenvolvem e formam o fruto, que serve para atrair animais que podem dispersar a semente.

No geral, a formação do endosperma começa após a fertilização e antes da primeira divisão do zigoto. O endosperma é um tecido altamente nutritivo que pode fornecer alimento ao embrião que está se desenvolvendo, cotilédones e, algumas vezes, à plântula.

Essas características juntas fazem das angiospermas as mais diversas e numerosas plantas terrestres e o grupo mais comercialmente importante para os humanos.

Características gerais das duas classes de angiospermas

Monocotiledôneas

Inflorescências de espécie pertencentes à família Asteraceae

Exemplos: Gramíneas, arroz, milho, cereais, centeio, trigo, aveia, cana, palmeiras, etc.

Eudicotiledôneas ou Dicotiledôneas

  • Raiz axial ou pivotante permitindo assim atingir maiores profundidades
  • Folhas com nervuras geralmente reticuladas
  • Flores tetrâmeras ou pentâmeras (múltiplas de 4 ou 5)
  • Semente com dois cotilédones
  • Ciclo de vida longo
  • Crescimento secundário (Presença de tronco)
  • Podem apresentar caule lenhoso
  • Nervura reticulada

Exemplos: Leguminosas como amendoim, feijão, soja, lentilha e ervilha, além do ipê, do jacarandá, da roseira, da paineira, etc.

Mais de 70% das espécies de angiospermas pertencem ao grupo das dicotiledôneas. Esse grupo inclui a maioria das árvores e dos arbustos e muitas ervas. A maioria das monocotiledôneas é formada por plantas herbáceas. Há poucas árvores nesse grupo.