Alforria

Carta de alforria no Museu Histórico Nacional.

Alforria (do árabe الحرية al-ḥurrííâ) ou manumissão é o ato pelo qual um proprietário de escravos liberta os seus próprios escravos.[1] Esta libertação assume diferentes formas consoante o tempo e o local da sociedade escravagista. A primeira palavra para liberdade vem do sumério "Ama-gi" que corresponde a alforria da escravidão por dívida.[2][3] No Brasil alforriava-se como em nenhum outro lugar. A alforria se torna, portanto, um problema à historiografia brasileira, pois um escravo alforriado, fujão ou morto é, igualmente para o sistema, um escravo a menos.[4]

Etimologia

Do árabe الحرية al-ḥurrííâ, que significa "afastamento de falhas, escravidão, ou maldade; estado de homem livre, não escravo; liberdade".[5]

  1. Dicionário Priberam da Língua Portuguesa. «Alforria» 
  2. Karen Radner, Eleanor Robson, ed. (2011). The Oxford Handbook of Cuneiform Culture. [S.l.]: Oxford University Press. pp. 208–209. ISBN 978-0199557301 
  3. John Alan Halloran (2006). Sumerian Lexicon: A Dictionary Guide to the Ancient Sumerian Language. [S.l.]: David Brown Book Company. p. 19. ISBN 978-0-9786429-0-7 
  4. FLORENTINO, Manolo (2002). «Alforrias e etnicidade no Rio de Janeiro oitocentista: notas de pesquisa» (PDF). Topoi 
  5. Team, Almaany. «تعريف و معنى حرية بالعربي في معجم المعاني الجامع، المعجم الوسيط ،اللغة العربية المعاصر - معجم عربي عربي - صفحة 1». www.almaany.com (em inglês). Consultado em 11 de janeiro de 2018. 

A palavra "alforria" tem origem no árabe al-furriâ,[1] que significa "liberdade". "Manumissão" provém do latim manumissione.[2]